Superar a violência!

Postado por: Ari Antônio dos Reis

Compartilhe

Neste ano, sobretudo no tempo da Quaresma, a Igreja proporciona à sociedade a oportunidade de refletir possíveis caminhos para a superação da violência. A campanha gerada a partir do tema “a fraternidade e a superação da violência”, sob o lema “Vos sois todos irmãos” (Mt 23, 8), reflete as diferentes situações de violência nos vários segmentos da sociedade.

 O objetivo “construir a fraternidade, promovendo a cultura da paz, da reconciliação e da justiça, à luz da Palavra de Deus, como caminho de superação da violência”, segue o princípio de que a Campanha da Fraternidade não se limita a constatação da violência. A preocupação consiste em encontrar caminhos viáveis para a superação da violência, pois este é um passo decisivo se buscamos outra realidade para a sociedade brasileira.

Neste processo reflexivo é importante o olhar para fora, para a realidade brasileira e perceber uma sociedade marcada pela violência, explicitada de diferentes modos: cultural, estrutural, relacional e pessoal.

O olhar para fora compreende também olhar interno, exercício para cada pessoa. Compreende ter a coragem de se colocar algumas perguntas: Sou violento? Em que momentos? A quem minhas ações violentas atingem? Quais são as consequências para mim e para o meu próximo?

Olhar para fora parece tranquilo, caso se pense que que as violências que permeiam a sociedade não tenham também um fundo pessoal, responsabilidade de cada cidadão.   O olhar para dentro, exercício pessoal, pode ser mais difícil, provocador. As atitudes violentas de cada pessoa têm também consequência social.  Por isso a importância do olhar pessoal. É necessário porque a superação da violência começa individualmente.  Este não elimina o compromisso de mudança da sociedade violenta.

Então vem o outro passo. Consiste em usar a criatividade para encontramos caminhos para a superação da violência. Esta será a grande contribuição que a Campanha deixará para a sociedade brasileira. Sugere-se alguns princípios: respeitar a Vida; rejeitar a violência; ser generoso; ouvir para compreender; preservar o Planeta; redescobrir a solidariedade. São pequenas atitudes, porém muito significativas.

Sejamos instrumento da Paz!

*A Fundação Cultural Planalto de Passo Fundo salienta que o texto reflete a opinião de seu autor.

Leia Também 11º Domingo do Tempo Comum. Programa Sustentabilidade Ambiental Empresarial será lançado pela ACISA Cuidado com o crime digital As pequenas ações