Protagonismo feminino no agronegócio

Compartilhe

Na tarde do terceiro dia de Expodireto Cotrijal, quarta-feira (7), o protagonismo das mulheres na propriedade foi tratado durante o 4º Encontro de Empresárias Rurais Cotrijal/Bayer. A palestrante convidada foi Marlene Kaiut, produtora rural campeã pelo Paraná do Prêmio Sebrae Mulher e vice-campeã nacional do Prêmio Sebrae Mulher.
Marlene Kaiut trouxe para as produtoras a sua própria história: a jovem modelo e dona de casa, que não entendia nada de agronegócio, assumindo a leitaria que era administrada pelo esposo e acumulava uma dívida de R$ 400 mil. Ele ia desistir da leitaria, mas Marlene assumiu as rédeas do negócio e deu uma reviravolta na propriedade, que hoje é um case de sucesso com 115 vacas em lactação, rendendo mais de 23 litros/vaca/dia.
“Eu fico muito grata em tratar um tema tão importante em uma feira da grandiosidade da Expodireto. Na minha palestra eu busco trazer as mulheres para a área do campo, pois elas têm um grande potencial que muitas vezes fica perdido atrás do marido. Existe muito preconceito por uma propriedade ser tocada por uma mulher, mas é como eu sempre digo, a gente nunca pode abaixar a cabeça. Deve ter foco, determinação e trabalhar muito na parte de gestão e administração que não tem como dar errado. A mulher sempre faz a diferença. Uma propriedade rural pode sim ser tocada por uma mulher. Lugar de mulher não é cozinha: é onde ela quiser!”, declarou.

Cotrijal é pioneira
Ledi Müller, 57 anos, é produtora rural e toca a propriedade em Tio Hugo ao lado do marido. Ela ajuda em praticamente todos os trabalhos do campo, só não no plantio e na colheita, e participa ativamente dos negócios da família. Afirma ser de extrema importância que a mulher tenha o seu espaço e elogia a Cotrijal pela iniciativa de oferecer cursos e espaços de formação que fomentem a atuação da mulher no agronegócio.
O apontamento de Ledi foi reforçado por Maiara Fontana, 28 anos. Formada em administração, ela cursa direito e sonha ser ainda mais presente na propriedade de 300 hectares do pai em Água Santa. Maiara ajuda na administração dos negócios e sai da palestra inspirada e motivada pela fala de Marlene. “É uma motivação a mais para nós, mulheres, que estamos começando a atuar profissionalmente no agronegócio”, afirma.

Esforço para inserir mais a mulher
O presidente da Cotrijal, Nei César Mânica, destacou na abertura a importância da mulher como parceira de trabalho na propriedade e reforçou o empenho da cooperativa em oferecer às mulheres associadas formação e discussões que fomentem sua participação e liderança no agronegócio.
Também subiram ao palco o vice-presidente da Cotrijal, Enio Schroeder, e o representante técnico de vendas da Bayer, Jonis Gelain. Ele parabenizou as presentes pela participação na atividade. “Que todas possam sair daqui com mais ânimo e motivação. Que essa conversa possa levar a mudanças, avanços e inovação para as suas propriedades, pois a palestrante é uma mulher que mudou a realidade da sua propriedade, assim como muitas das que estão aqui também o fazem nas suas”, declarou Gelain.
 

Leia Também Situações e perspectivas do agronegócio serão debatidas em Passo Fundo Prazo de adesão ao Refis Rural é prorrogado para 30 de maio Agrícola Plantagro abre as portas ao produtor rural nessa quarta-feira Inicia primeira etapa da vacinação contra febre aftosa