O que fazer com os animais de rua

Postado por: Ronaldo Rosa

Compartilhe

Um problema, até de saúde pública, aumenta em Passo Fundo, a ponto de alguma providência urgente ter que ser adotada, antes que ninguém mais controle a situação. Os animais soltos pelas ruas, praças, parques e até no pátio da prefeitura, causam transtornos e prejuízos para os cofres públicos. Nesse momento não interessa quem é da causa ou não é. Precisa ser feito um mutirão, pois a questão afeta quem gosta e quem não gosta de animais, ou seja, o problema é de todos. O programa de castração precisa ser intensificado, precisamos de locais públicos e apropriados, para recolher os animais, uma campanha permanente de adoção desses animais e também bom senso por parte das pessoas, pois por mais que se amem os animais, eles não são gente e portando não desfrutam dos mesmos direitos dos cidadãos. Tenho notado que muita gente, pela sua paixão, pela sua bandeira, esquece-se disso e quer impor que animal é mais importante que a pessoa. Muitos podem ter essa opinião, cada um com as suas preferências, mas opinião, fora da lei, é apenas uma opinião. 

 

Morte de Marielle

O assassinato da vereadora do Rio de Janeiro ganhou uma proporção gigantesca. Daí começa a polêmica nas redes sociais e na imprensa. O assassinato ficou em segundo plano, a discussão agora é se ela merecia ter sido morta ou não, se toda essa mídia em cima do caso se deve a questões políticas, com interesses “por baixo dos panos”. Pessoas assassinada no Brasil morrem todos os dias, muitas se quer dignas de uma nota de falecimento outras, que fizeram muito pela sua cidade, pela sua comunidade morrem sem receber nenhum tipo de homenagem. A questão é que não podemos banalizar a morte, seja de quem for, os autores precisam ser identificados e punidos. As pessoas estão mais preocupadas em dar opinião em redes sociais, do que enxergar a realidade da insegurança em todas as cidades do Brasil.

 

Covarde de facebook

Tem um cidadão aí, defensor de ideias ultrapassadas, que me provou ser um covarde. Convidado para participar do meu programa, onde teria espaço para expor as suas brilhantes posições e pensamentos, se quer respondeu, mostrando ainda a falta de consideração e de educação, isso que é professor. Foi desafiado publicamente para um debate e correu da raia. Atrás do computador e nas redes sociais tem muitos pagando de “macho” por aí, opinam sobre todos os assuntos, são os donos da verdade, mas só tomam “relho” nas suas publicações. Esse é um novo perfil de pessoas existente na nossa sociedade, que tende a crescer cada vez mais, os covardes do Facebook.

 

Dizem por aí... Que o Facebook vai acabar e com ele irão desaparecer muitos “corajosos” que defendem a nossa sociedade. Será verdade?

Leia Também Todos os santos Empregador em foco: Férias Fracionadas: 14 | 5 | 5, pode? Chamando a mãe Pais na antessala da psicóloga