Boicote ao Procurador Candeia

Postado por: João Altair da Silva

Compartilhe

Não tenho dúvidas de que  a proibição da Procuradoria Geral do Estado de que seus integrantes atuem no tema das demarcações, foi para calar a boca do procurador Rodinei Candeia.  Ele era praticamente o único a atuar no Estado.  O fraco argumento da chefia da PGE, que está subordinada ao governador Tarso Genro, é de que precisa andar articulada com as secretarias estaduais envolvidas nas demarcações. Para isso proibiu seus procuradores através de ordem de serviço de atuar nos casos em qualquer circunstância. Quem pode  atuar melhor, um procurador de Porto Alegre ou um procurador aqui do interior que  vive  o problema junto com os colonos e índios?  Candeia defendia a legalidade, defendia as sagradas escrituras dos colonos, mas foi cortado do processo.  Inclusive, disse aqui na rádio Planalto há pouco tempo que a advocacia estatal precisava se manifestar e não esperar o fim dos processos. A hora que o Estado começar a ser condenado a pagar indenizações de terras e benfeitorias vão se lembrar do Candeia.  Penso também que a entidade  representativa dos procuradores do Estado do RS, deveria recorrer na Justiça contra essa arbitrariedade, esse ato coercitivo do governo. A repressão chegou até na PGE, não falta muita coisa para a punhalada final.

Leia Também 33º Domingo do Tempo Comum. O Enart, de novo! A importância de ter uma recepcionista/secretária preparada em seu consultório. Feito é melhor que perfeito