MEC libera R$ 345,86 milhões para merenda de estados e municípios – Atenção para a agricultura familiar

Postado por: Marlon André Kamphorst

Compartilhe

O Ministério da Educação liberou dia 15 de Março de 2018, R$ 345,86 milhões em recursos financeiros para o Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae). Os recursos serão repassados ao Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), órgão vinculado ao MEC que operacionaliza o pagamento às redes de ensino estaduais, distrital e municipais. O Pnae garante a alimentação de cerca de 42 milhões de estudantes por dia, o que representa 54 milhões de refeições diárias, conforme destaca o ministro da Educação, Mendonça Filho. “É um programa que busca garantir uma alimentação de qualidade, que supra as carências nutricionais dos estudantes durante sua permanência na escola”. No próximo dia 31 de março, o programa completa 63 anos.

 Pelas regras, um mínimo de 30% dos recursos repassados pela União deve ser aplicado na compra de gêneros alimentícios vindos da agricultura familiar, de maneira a movimentar as economias locais. Os valores financeiros devem ser aplicados na aquisição e na distribuição da alimentação escolar dos estudantes matriculados em escolas públicas, filantrópicas, comunitárias e confessionais, da creche ao ensino médio, além da educação de jovens e adultos. São contemplados todos os estudantes da rede pública, incluindo escolas urbanas e rurais, de áreas remanescentes de quilombos e das aldeias indígenas

Opinião da coluna: Os municípios pequenos em especial do Rio Grande do Sul possuem na agricultura familiar um dos pilares da economia municipal, sendo que os produtos derivados da agricultura familiar, além de nutritivos são extremamente saborosos. Dessa forma, necessário que os municípios estejam atentos para a liberação destes valores que podem ser empregados na compra de produtos oriundos da agricultura familiar.

*A Fundação Cultural Planalto de Passo Fundo salienta que o texto reflete a opinião de seu autor.

 

 

Leia Também Alimentação durante o tratamento da infecção urinária Estado falha e municípios pagam a conta da saúde O cão, o trigo e o Fusca Não incide IOF sobre fluxo financeiro em participação em sociedade