Presos terão regressão de pena após colocarem fogo em ala de presídio

Compartilhe

São 61 detentos que estavam em regime semiaberto e passarão para o fechado

Uma reunião entre o juiz da Vara de Execuções Criminais de Erechim, Antônio Ribeiro, o delegado penitenciário regional, Rosalvaro Portella e a administração do Presídio Estadual de Erechim, ocorrida no início da tarde dessa quarta-feira (11), estabeleceu que será regredido cautelarmente o regime de todos os apenados que estavam recolhidos no alojamento no momento do sinistro. Isso significa que de ir para prisão domiciliar, passarão para a galeria, onde ficam os presos em regime fechado.

Também ficou estabelecida a reativação da parte do alojamento que foi interditada pela justiça há um ano. O local vai abrigar 32 presos do regime semiaberto. A medida foi tomada após o incêndio ocorrido pela manhã, que destruiu o alojamento onde permaneciam os apenados do regime semiaberto. 

O fogo começou quando os detentos que têm o benefício do regime semiaberto mas que não trabalham, e portanto permanecem no presídio durante o dia, saiam para o pátio no horário de tomar sol.

Conforme informações da Superintendência de Serviços Penitenciários (Susepe), os próprios presos que ocupavam o local teriam provocado o incêndio, minutos antes de saírem das celas. Eles teriam colocado fogo em colchões. As chamas foram rapidamente controladas pelo Corpo de Bombeiros e o local foi isolado para realização da perícia que vai apontar as causas do fogo. No alojamento destruído pelo incêndio ficavam 62 presos.

Foto: Susepe

Leia Também Rossato e Tonial Cereais irá construir mais uma unidade em Coxilha Prefeitura de Água Santa realiza recuperação de estrada no interior Sequência de acidentes envolvendo animais soltos na pista em Carazinho Cresol Planalto Serra encerrou o ano com R$ 2,746 milhões de sobras