Presos terão regressão de pena após colocarem fogo em ala de presídio

Compartilhe

São 61 detentos que estavam em regime semiaberto e passarão para o fechado

Uma reunião entre o juiz da Vara de Execuções Criminais de Erechim, Antônio Ribeiro, o delegado penitenciário regional, Rosalvaro Portella e a administração do Presídio Estadual de Erechim, ocorrida no início da tarde dessa quarta-feira (11), estabeleceu que será regredido cautelarmente o regime de todos os apenados que estavam recolhidos no alojamento no momento do sinistro. Isso significa que de ir para prisão domiciliar, passarão para a galeria, onde ficam os presos em regime fechado.

Também ficou estabelecida a reativação da parte do alojamento que foi interditada pela justiça há um ano. O local vai abrigar 32 presos do regime semiaberto. A medida foi tomada após o incêndio ocorrido pela manhã, que destruiu o alojamento onde permaneciam os apenados do regime semiaberto. 

O fogo começou quando os detentos que têm o benefício do regime semiaberto mas que não trabalham, e portanto permanecem no presídio durante o dia, saiam para o pátio no horário de tomar sol.

Conforme informações da Superintendência de Serviços Penitenciários (Susepe), os próprios presos que ocupavam o local teriam provocado o incêndio, minutos antes de saírem das celas. Eles teriam colocado fogo em colchões. As chamas foram rapidamente controladas pelo Corpo de Bombeiros e o local foi isolado para realização da perícia que vai apontar as causas do fogo. No alojamento destruído pelo incêndio ficavam 62 presos.

Foto: Susepe

Leia Também Cantata Natalina de São Roque acontece neste sábado Morre menino de 8 anos que caiu de cavalo em Espumoso Comunidade ora pela recuperação de criança que caiu de cavalo em Espumoso Administração de Ernestina decreta luto por morte de diretora de escola