E. C. Passo Fundo: confiança só se adquire com vitória!

Postado por: Luiz Carlos Carvalho

Compartilhe

Olá, internautas conectados com a Planalto!

O Esporte Clube Passo Fundo teve uma derrota por demais lamentável nesse domingo, 15, no Estádio Vermelhão da Serra. Perdeu a grande oportunidade de superar um adversário direto, o Esportivo (1x2) e agora terá que correr contra o tempo, precisando de uma sequência de resultados positivos para ainda pensar na classificação.

Os números não são nada admiradores após o encerramento da segunda rodada do returno. A equipe tricolor está em sexto lugar, apenas ficando à frente dos times que teoricamente estão na luta contra o rebaixamento. Em nove jogos, foram nove pontos conquistados (um por jogo), com 1/3 da pontuação possível.

O setor defensivo que teria que tudo para ser uma marca da equipe não conseguiu os resultados esperados. Nas nove partidas, em apenas uma não sofreu gol. Isso é muito ruim. Preocupa também a quantidade de gols sofridos em jogada aérea. Assim ocorreram nos três últimos jogos, contra o Glória e agora contra o Esportivo.

A culpa, evidentemente, não é apenas da defesa. Se o ataque tivesse cumprido com a sua tarefa, outros horizontes poderiam ser vislumbrados. Nos últimos jogos, apenas um gol foi marcado, o do estreante Gustavinho.  Logicamente, se o ataque não está sendo eficiente, está faltando, por sua vez, uma boa produtividade do setor central.

São vários fatores para a correção do técnico Hélio Vieira, que recém chegou. E o tempo é curto, precisando de vitória urgente contra o Ypiranga, nesta quarta-feira, no Vermelhão da Serra. Cabe ao Passo Fundo recuperar a própria confiança dos torcedores. O público local é bem assim: espera que a campanha seja positiva para comparecer. 

A confiança só se adquire com vitória. A sequência de bons resultados não é algo de outro mundo. É perfeitamente possível, uma vez o equilíbrio da chave. O Passo Fundo tem perdido para seus próprios erros. O grupo tem suas carências, mas é capaz de produzir bem mais, a partir de suas potencialidades.

Há que ocorrer maior concentração, desde os passes. Muitas vezes por desperdiçar o penúltimo toque se perde a oportunidade de colocar um companheiro na cara do gol. Com isso, acaba pesando contra o fato de que os adversários acabam marcando mesmo em poucas chegadas ofensivas. Há que se apresentar, portanto, maior objetividade.

Ainda restam três jogos dentro de casa, com possibilidade de nove pontos. É possível conquistá-los. Virão outros dois compromissos fora em que é possível avançar. O time do Passo Fundo continua só dependendo dele. A partir de agora, mais do que nunca, cada compromisso deve ser tratado como verdadeira decisão.

A arbitragem errou em pelo menos três jogos.  Certamente, continuará errando. Em algum momento poderá errar também contra os adversários. Faz parte. Até no Campeonato Brasileiro as falhas são bem evidentes, por má colocação no acompanhamento dos lances. Mas, a arbitragem é apenas um detalhe, sabendo que a equipe ainda pode jogar mais.

Continuo acreditando no Passo Fundo! Vou acreditar até o fim! Que venha uma vitória contra o Ypiranga! Só ela para abrir portas para outra vitória. E assim, por diante. È chegado o momento de agir com mais eficiência e com menos descuidos.

Até a próxima!
Sejam felizes, vocês merecem!

Leia Também O cão, o trigo e o Fusca Não incide IOF sobre fluxo financeiro em participação em sociedade “Enviados para testemunhar o Evangelho da paz” Solução para o atraso