Entre passos

Postado por: Isadora Fochi

Compartilhe

A dança é uma das mais populares artes que existem no mundo. Ela é a transformação de emoções, anseios e sentimentos em passos ritmados que juntos, formam algo maravilhoso ao olhos. E não é diferente no tradicionalismo. A dança é uma das coisas que mais chama a atenção das pessoas, e talvez é a principal porta de entrada para muitos que ingressam no tradicionalismo. Merecidamente, a dança também tem seu dia, um dia em que todos os dançarinos por todo nosso estado mostram seu orgulho e alegria em dançar e expressar seus sentimentos, e por isso o dia 29 de abril de torna um tanto quanto mais especial: é o dia internacional da dança!!

Desde os primórdios desse movimento, a dança esteve presente no tradicionalismo. Muitas foram pesquisadas e resgatadas, outras foram criadas, e hoje, se tornaram parte essencial da nossa cultura. Os maiores responsáveis por essa pesquisa foram Paixão Cortes e Barbosa Lessa, que, junto a Invernada das prendas, apresentaram em 1949, pela primeira vez: a meia canha, o bugio e o caranguejo. Posteriormente, uma excursão em 1950, resgatou e pesquisou nada a mais nada a menos que o pezinho e a partir de então surgiu o “Manual de Danças Gaúchas”; que hoje, após muito e muito estudo, foi atualizado inúmeras vezes.

 Hoje, a dança representa uma parte muito conhecida da nossa cultura, tanto que, um dos maiores eventos do nosso movimento é o ENART, palco dos sonhos de todos os dançarinos. Mas além do ENART, temos também o FEGADAN, que abrange todos os grupos de estilo campeiro. Eventos como estes são responsáveis pelo engrandecimento artístico de nosso movimento, tanto que anualmente, o número de participantes é cada vez maior. Vários corações pulsando num mesmo ritmo, compassados em uma mesma dança e movendo-se juntos: somente a magia de dançar é capaz de fazer isso, dançar é parte da vida de todos nós, em alguma vez em nossas vidas nós já dançamos ou iremos dançar, nem sempre da melhor forma possível, mas com o maior amor possível! E é dançando, praticando as pesquisas de Paixão e de Lessa que muitas pessoas fazem sua parte e deixam seu legado no tradicionalismo!! Afinal, somos amantes do que fazemos, somos dançarinos, movidos por amor a nossa tradição!!

*A Fundação Cultural Planalto de Passo Fundo salienta que o texto reflete a opinião de seu autor.

Leia Também Beto Campos, um profissional vencedor! Como reduzir aquela barriguinha indesejada? Vou operar! O que fazer? Decreto permite a readequação do uso de obras federais