Incansável batalha contra o tráfico de drogas

Postado por: Gilnei Fogliarini da Costa

Compartilhe

A luta contra as drogas tem se tornado cada dia mais difícil, praticamente um retrabalho todos os dias, pois não há hoje no território nacional qualquer sistema ou política pública que tenha dado resultado para mitigar o tráfico e cosumo de entorpecentes.

O número de usuários tem se tornado crescente e incontrolável para as instituições públicas de saúde e assistência, e não há como a segurança pública abarcar para si a responsabilidade de controlar e combater sozinha essa proliferação, ainda que venha numa labuta incessante na busca por coibir que os traficantes destruam ainda mais vidas.

O tráfico se tornou o principal meio de subsistência para muitos indivíduos com pouca ou sem nenhuma estrutura social e familiar, que se vislumbram na ilusão do dinheiro fácil, e acabam desvirtuados e aliciados por pessoas que lhe exploram. É um caminho muitas vezes sem volta, ao entrar numa facção o indivíduo acaba obrigado a compactuar com tudo que o comando determina, se põe em risco, perde o controle da própria vida, e destrói com sua família e suas verdadeiras amizades.

Esta teia que gera o tráfico acaba por prender o consumidor, o usuário se torna dependente do produto e sempre retornará a comprar, alimentando desta forma os comandos e facções que dia após dia ganham força e poder. O usuário dificilmente dirá que é dependente do produto, ele não acredita que aquela substância lhe fará o mal que realmente faz, e não acredita ser o verdadeiro financiador do tráfico. Em alguns casos o usuário se sustenta, mas em muitos casos acaba por realizar outros crimes para adquirir produtos ou valores que serão a forma de sustentar o vício.

Neste imbróglio as instituições da segurança pública se tornam muitas vezes mal vistas, pois são elas que dão a cara a tapa enfrentando este problema, e numa dessas acaba-se por perder bons combatentes que lutam em prol da sociedade, como ocorrido na última quarta-feira (02/05), no Vale do Caí, onde tombou o Policial Civil Leandro de Oliveira Lopes, o qual, juntamente com seus colegas, foram surpreendidos por criminosos quando chegavam para prender um traficante e assassino. Ficam aqui nossas condolências a família e aos colegas, uma semana triste para a segurança pública e para as pessoas que deseja uma sociedade mais justa e segura.

*A Fundação Cultural Planalto de Passo Fundo salienta que o texto reflete a opinião de seu autor.

 

Leia Também Transtorno de Personalidade Borderline Crescimento, emprego e custos de vida: o governo não entregou o que prometeu Derrota e ensinamentos na Série Prata Alimentos que tiram a fome