Dia das Mães: lojistas esperam alta no movimento

Compartilhe
Levantamento realizado pela AGV indica que mais de 80% dos gaúchos irão presentear na data

A velha história de que os brasileiros deixam as compras para a última hora deve se confirmar mais uma vez no Rio Grande do Sul. Um levantamento realizado pela Associação Gaúcha para Desenvolvimento do Varejo (AGV) confirma a expectativa de aumento nas vendas na semana que antecede o Dia das Mães. De acordo com o levantamento, na segunda data mais importante para o varejo, 86,2% dos gaúchos afirmam que comprarão presente para as mães.
Destes, 32,3% não se preocupam tanto com o valor e escolhem o que mais tem ‘a cara dela’, 23,1% dos entrevistados contam que conhecem tanto a presenteada que sempre sabem o que comprar. Por outro lado, 18,5% dos entrevistados já saem de casa sabendo quanto vão gastar.
Para a presidente Carina Sobiesiak, a CDL Passo Fundo está otimista com o Dia das Mães. Segundo ela, a data, que será comemorada no dia 13 de maio, deve representar crescimento médio de cerca de 9% nas vendas em relação ao ano passado.
Na comparação com abril deste ano, o incremento deve ser de 5%. Entre os segmentos mais procurados, para Carina, estão confecções, calçados, perfumaria, cosméticos, móveis e eletroeletrônicos. O
 crescimento nas vendas também é esperado pela AGV. “As vendas das coleções de outono/inverno ainda estão em ritmo lento. Porém, a busca por presentes para as mães deve mudar este cenário, apontando para uma alta entre 4% e 6%”, comentou o presidente, Ricardo Diedrich.
Para ele, o Dia das Mães segue sendo a segunda data mais importante para o varejo, ficando atrás apenas do Natal. “É muito difícil os filhos deixarem a data passar em branco, sem ao menos comprar uma lembrancinha. Com o passar dos anos, notamos que o ticket médio reduziu um pouco, mas o volume de vendas segue sendo o vice-campeão do ano”, acrescenta.
Ainda segundo o levantamento, o campeão de intenções de compra são produtos para uso pessoal (71,9%), mas também tem aqueles filhos (15,6%) que preferem comprar algo que a mãe não compraria, mas que com certeza ela iria gostar. Os filhos mais criativos (10,9%) contaram que o presente deverá ser personalizado.

 Foto Eduarda Perin/CDL

Leia Também Prefeito anuncia obras no Cras e na escola do bairro São Luiz Gonzaga Passo Fundo terá evento do Dia Mundial em Memória das Vítimas do Trânsito Encerramento do Movimento pela Paz Sepé Tiaraju acontece no Parque do Gare Bairro a Bairro no São Luiz Gonzaga acontece neste sábado