Concorrência desproporcional com quem não tem mandato

Postado por: Ronaldo Rosa

Compartilhe

Polícia na rua e marginais na cadeia

Para a tranquilidade da população, a Brigada Militar está mais presente nas ruas de Passo Fundo, nos últimos dias. Isso é muito bom, tem que identificar as pessoas, veículos e situações que acontecem, durante a noite e principalmente de madrugada. O que tem de tentativas de assaltos ocorrendo nesses horários é de apavorar. Não dá para estar pela rua de madrugada, pois quando menos se espera encosta uma moto e um carro ao lado tentando interceptar, para praticar um roubo. Esse tipo de crime só se evita com o trabalho preventivo, por isso a BM na rua significa marginais na cadeia.

 

Brasil tem obrigação de receber refugiados

No programa Frente e Verso de sábado, pela Rádio Planalto, ficou esclarecida toda esta questão de o Brasil estar recebendo refugiados da Venezuela e investindo milhões para acolhê-los aqui. Mesmo que a maioria da população não concorde, o Brasil tem obrigação constitucional de dar este apoio humanitário. É injusto com mais brasileiros que não recebem a mesma ajuda do Governo e aí vem os de fora e são tratados até melhor, mas são compromissos assumidos não só pelo Brasil, mas por grande parte das nações do mundo. O que tem que estar atento é com as consequências de tantos estrangeiros virem para cá. Temos que receber bem sim, mas preservar a nossa cultura, nossas regras, senão daqui a pouco com esta salada de frutas corremos o risco de perder nossa identidade.

 

Candidatos nas ruas

Embora não seja possível, oficialmente, fazer campanha, o que tem de candidatos aparecendo em eventos e acontecimentos públicos. Muitos nunca fora a lugar nenhum, mas agora estão lá. A campanha de fato já iniciou, mesmo que não se tenha certeza que teremos eleições neste ano ou uma intervenção militar. De qualquer forma quem pretende se eleger não pode perder tempo.

 

Concorrência desproporcional com quem não tem mandato

Acho muito errado que candidatos ao legislativo, que já exercem o mandato, não tenham que, no mínimo, se licenciar dos seus cargos, para concorrer. Neste período de campanha, o vereador ou o deputado/ candidato, dedica maior parte do seu tempo ao objetivo da eleição e as funções para qual foi eleito ficam em segundo plano. Quem está fora e quer entrar tem que superar esta covardia, uma tarefa ingrata e injusta.

 

Dizem por aí... Que muitos vereadores e deputados, candidatos nas eleições deste ano, irão abrir mão do seu salário durante o período de campanha. Será verdade?


Leia Também Tentaram aplicar um golpe no Brasil Criminosos vão e a polícia vem! Equipamentos eletrônicos registram 600 mil passagens de veículos por dia Equipamentos eletrônicos registram a passagem de seiscentos mil veículos por dia