Petrobras anuncia redução do preço do diesel e da gasolina

Compartilhe
Preço da gasolina será reduzido em 2,08% e do diesel em 1,54%

Após uma sequência de reajustes, a Petrobras reduzirá os preços da gasolina em 2,08% e os do diesel em 1,54% nas refinarias a partir desta quarta-feira (23), em meio a discussões dentro do governo sobre a alta dos preços dos combustíveis e protestos de caminhoneiros.
Segundo informou a petroleira, o preço da gasolina nas refinarias cairá de R$ 2,0867 o litro para R$ 2,0433 a partir desta quarta. Já o preço do diesel será reduzido de R$ 2,3716 para R$ 2,3351.
A Petrobras adota novo formato na política de ajuste de preços desde 3 de julho do ano passado. Pela nova metodologia, os reajustes acontecem com maior frequência, inclusive diariamente, refletindo as variações do petróleo e derivados no mercado internacional, e também do dólar. Somente na semana passada, foram 5 reajustes diários seguidos.
Na véspera, a estatal tinha anunciado um novo aumento nos preços do diesel e da gasolina, elevando os preços dos combustíveis para novas máximas dentro da política da estatal. Desde o início da nova sistemática de reajustes adotada pela Petrobras, o preço da gasolina comercializada nas refinarias acumulava aumento de 58,76% e o do diesel, de 59,32%, segundo o Valor Online.

Gasolina teve 12 altas só no mês de maio
Neste mês, já foram anunciadas 10 altas e 5 quedas no preço do litro do diesel. No caso da gasolina foram 12 altas, 2 quedas e uma estabilidade. A última queda no preço da gasolina nas refinarias tinha ocorrido em 3 de maio. Na ocasião, o valor do litro da refinaria foi reduzido em 0,99%, de R$ 1,8072 para R$ 1,7893. No caso do diesel, a última redução ocorreu no dia 12 de maio, quando o preço passou de R$ 2,2361 para R$ 2,2162, queda de 0,88%.

Governo se reúne para discutir alta dos preços
O governo marcou uma reunião nesta terça-feira para discutir a alta dos combustíveis. Participam do encontro os ministros Eduardo Guardia (Fazenda) e Moreira Franco (Minas e Energia) e o presidente da Petrobras, Pedro Parente.
Na saída do encontro, Parente disse que a política de reajustes dos preços de combustíveis da empresa não será alterada.
"Na abertura da reunião, foi logo esclarecido que de maneira nenhuma o objetivo seria o governo pedir qualquer mudança na politica de preços da Petrobras. Porque é reconhecida que é uma consequência dos preços internacionais e do câmbio. Portanto, não houve discussão em relação a política de preços da Petrobras, que está exatamente como estava antes: sem qualquer mudança", disse ele.
Na segunda-feira (21), caminhoneiros pararam o trânsito em rodovias de 20 estados contra a escalada de aumentos dos combustíveis e nesta terça-feira, novos protestos são registrados no país.

*com informações G1

Leia Também Sistema de saque do PIS fora do ar em Passo Fundo Receita libera consulta ao segundo lote de restituição do IR 2018 Greve dos caminhoneiros custará R$ 15 bilhões para a economia Plano Safra traz recursos de R$ 194 bi e redução de 1,5% nos juros