Consepro pede socorro

Postado por: Ronaldo Rosa

Compartilhe

Uma entidade composta por voluntários da nossa cidade, que trabalham pelo bem da população, numa área tão decisiva, como a segurança pública, pode estar com os dias contados. Se isto acontecer, Brigada Militar e Polícia Civil, que trabalham mais próximas da população, serão prejudicadas. O assunto é muito sério e precisa uma participação e compreensão maior da comunidade, mas claro, principalmente dos poderes constituído, Executivo, Legislativo e Judiciário. A questão toda está na falta de recursos para manter o funcionamento deste órgão, o que vem sendo bancado pelos próprios voluntários, mas como disse o presidente da entidade, Carlos Jugno, numa reunião na Câmara de Vereadores, chegou ao limite, deu, não tem mais como levar adiante o trabalho sem o apoio do Poder Público.  A questão jurídica e burocrática tem atrapalhado muito, mas está na hora de mudar até a lei se for preciso, para resolver a questão. As nossas autoridades, aquelas que têm a caneta na mão precisam analisar com mais atenção este caso, para evitar um problema maior logo ali, o que vai prejudicar e muito a nossa cidade.

 

Excesso de zelo só para algumas coisas

Tenho visto tanta barbaridade no serviço público, com servidores que por serem concursados se envergam de uma autoridade que não tem e pior os superiores ficam de braços cruzados, não sei se por medo ou por preguiça mesmo. Muitas entidades de Passo Fundo, que fazem o serviço que deveria ser feito pelo município, que estão prestes a fechar as portas, devidos às cobranças exageradas, excesso de zelo que só vemos para alguns casos. Aqui poderia citar muitos exemplos de entidades, que tiveram que encerrar as atividades por cobranças, justamente de quem teria que prestar o serviço para a população e não presta. O caso mais recente foi do Hospital Bezerra de Menezes, salvo na ultima hora, pois Estado e Município se viram obrigados a fazer algo, antes que a bomba estourasse nos seus próprios colos. Tem outras bombas vindas por aí, graças à lentidão do serviço público, que não consegue se antecipar aos problemas.

 

Independente da motivação é muito bom ver a polícia na rua

Que o Estado passa por dificuldades, qualquer um sabe, falta recursos para atender as demandas da população, em áreas vitais, como segurança pública, saúde e educação. Porém agora tem uma novidade boa, pois estamos vendo mais policiais pela rua, dando uma melhor sensação de segurança. Vem eleição daqui alguns meses e claro que a melhoria nos serviços públicos está ligada a isso. Mas, independente da motivação, que seja política, o que importa é ter a polícia na rua.

 

Dizem por aí... Que até as eleições o Estado vai funcionar que é uma beleza, mas depois tudo volta a ser como era antes. Será verdade?

Leia Também Linda ou ridícula? Muito obrigado Dom Urbano! O respeito à propriedade alheia CNBB: qual a nossa missão?