Mudanças na classificação do mel e cadeia produtiva da apicultura

Compartilhe

A Comissão de Agricultura e Reforma Agrária (CRA) discutiu recentemente em audiência pública interativa, um projeto que muda a classificação do mel de abelhas de produto de origem animal para produto de origem mista. Também foi tema do debate os desafios da cadeia produtiva da apicultura e a Política Nacional do Mel.

O Projeto de Lei da Câmara (PLC) 36/2017, do deputado Alceu Moreira (PMDB-RS), exclui mel, cera, própole, geleia real e demais produtos da apicultura das mesmas normas que orientam a inspeção de produtos de origem animal, previstas na Lei 1.283/50. Pelo projeto, do deputado Alceu Moreira (PMDB-RS), os produtos apícolas ficarão sujeitos a normas específicas, definidas em regulamento.

A mudança é vista com preocupação por produtores rurais. A modificação de origem animal para origem mista pode afetar as exportações, já que muitos países não reconhecem essa classificação, segundo explicou em nota a Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA).

A audiência foi requerida pela senadora Regina Sousa (PT-PI) e pelo senador Ivo Cassol (PP-RO), presidente da comissão. De acordo com Cassol,  o mel do Brasil é referência mundial em qualidade. Ele lembrou que as abelhas não são essenciais apenas para a produção do mel, mas também para a manutenção da biodiversidade, em razão da sua capacidade polinizadora.

*com informações Agência Senado 

Leia Também Suspeitos de envolvimento na morte de Marielle Franco são presos no Rio de Janeiro Passo Fundo teve 12 casos de feminicídio registrados em 2018 Processos de cassação do direito de dirigir cresceram em 2018 no RS Depois de Passo Fundo e Caxias, Santa Cruz do Sul também deve receber Havan