Uma semana após a tragédia causada pelo tornado na região

Compartilhe

Da redação, Gabriela Soldá

Em Água Santa, o morador Arlindo Lorençon relatou um pouco dos acontecimentos da noite do temporal ao comunicador Idoli Gireli (Gringo do Povo) e ao padre Ladir Casagrande.


Casa destruída e todos os móveis perdidos. Dos seus documentos, o que restou foi somente a carteira de identidade.

O temporal atingiu vários municípios como Nonoai, Coxilha, Ciríaco entre outras localidades do interior.

Na comunidade de São Caetano, os registros da destruição ainda são evidentes. Famílias que perderam suas residências e aviários. Muitos são os relatos de moradores que ficaram apenas com as roupas do corpo.

O apoio e ajuda da comunidade gera ânimo e esperança na reconstrução.   


Edson Lorençon falou ao padre Ladir sobre os momentos difíceis e inimagináveis.

“Acho que o momento mais difícil foi quando eu vi que estourou a janela do porão e a casa levantou inteira, então, eu vi que o vento aumentava cada vez mais, eu vi que cada um tinha que se defender por si, se tivesse uma criança longe nós não tínhamos como socorrer.” relata Edson.

Veja os registros em imagens e ouça os relatos no áudio abaixo:

  • Gringo do Povo e Padre Ladir em Água Santa

Leia Também Francisco Turra recebe homenagem do Sicredi em Tapejara Coxilha realiza o Desfile Farroupilha Emenda assegura máquinas para município de Ernestina Marau é a cidade mais limpa do Brasil