Senegaleses apontam demandas para integração

Compartilhe

 

Com a intenção de conhecer a realidade e buscar formas de suprir as necessidades dos senegaleses que vivem em Passo Fundo, a Comissão de Cidadania e Direitos Humanos da Assembleia Legislativa, promoveu na IMED a Audiência Pública ‘A Integração da Comunidade Senegalesa em Passo Fundo’.

A audiência busca sensibilizar o poder público, instituições, e toda a comunidade para o reconhecimento dos senegaleses como moradores do município e cidadãos de direito.

A IMED tem o papel importante de ser parceira nas intervenções que favoreçam a garantia dos direitos humanos desta população. Algumas ações, que envolvem os cursos da instituição, já estão sendo desenvolvidas e serão apresentadas aos senegaleses durante a Audiência.

Para a professora do curso de Psicologia da IMED e coordenadora do Arranjo de Desenvolvimento da Educação Norte Gaúcho, ADE Norte Gaúcho, Claudia Furlanetto, a audiência foi muito importante por ser um espaço onde se reuniram vários representantes públicos, mas principalmente por ter a presença dos imigrantes. “Eles nos trouxeram suas vivências, o que passam, como vivem em nossa cidade com relação a violação de direitos. E a IMED tem uma responsabilidade grande como uma instituição de ensino superior, com a adesão ao pacto de Educação de Direitos Humanos, onde vamos somar todas as ações que pudermos para garantir os direitos da comunidade e neste caso específico da comunidade Senegalesa de Passo Fundo. Temos algumas tarefas, vamos compor um grupo com outras instituições de ensino superior, Coordenadoria de Educação, secretaria municipal da Educação que vai trabalhar a questão da educação, como revalidação de diplomas, reconhecimento, e ainda da forma de ingresso no ensino superior. Vamos unir esforços para podermos contribuir com a inclusão destas pessoas no ensino superior”, comenta Claudia.

O acesso à educação foi aspecto abordado também pelo do vice-presidente da Assembleia Legislativa, deputado Juliano Roso. “Vamos organizar uma reunião, por meio de oficinas, com todas as instituições de ensino superior e técnico de Passo Fundo e ampliando com outras instituições do Estado. Acesso à educação é um dos passos importantes para qualificar estes cidadãos e também criar condições de aproximar a comunidade ao mercado de trabalho”, comenta. Outra questão solicitada foi apoio para viabilizar uma sede ao grupo. “Vamos ajudá-los a viabilizar esta demanda importante”.

Na avaliação de Roso, a audiência é um momento importante para ouvir a comunidade senegalesa e os problemas enfrentados por eles. “Tiramos encaminhamentos para demandas importantes desta comunidade. Entre eles a documentação junto a Polícia Federal, um aspecto importante para legalizar a presença deles no país. Vamos conversar com o delegado Vinícius da Polícia Federal, para que agilize a documentação de quem precisa do visto. O documento está demorando cerca de três a quatro meses para ser emitido. Enquanto isso, os imigrantes ficam ilegais no país”, destaca.

A legalização do trabalho dos imigrantes que trabalham como ambulantes no município também foi uma demanda indicada. Para o deputado é fundamental inserir estes imigrantes no mercado formal de trabalho. “Essa é uma questão complexa, mas estaremos trabalhando junto a órgãos como o Ministério do Trabalho, Prefeitura, e acionar uma rede para que isso se concretize”, justifica Roso

Durante audiência foi entregue uma carta com várias reivindicações que compõem os apontamentos apresentados pela comunidade senegalesa. “A audiência foi um sucesso, ouvirmos e tirarmos estes encaminhamentos fundamentais para auxiliar na integração da comunidade. Faço um agradecimento especial para a IMED que mobilizou e organizou este importante espaço de discussão e está sempre atenta e preocupada com temas ligados a cidadania e ao desenvolvimento da nossa sociedade”, afirma Roso.

 

Foto: Francine Tiecher/IMED

Leia Também Nutricionista fala sobre alimentação saudável nas escolas municipais Alteração na tarifa do transporte coletivo será avaliada nesta terça Professoras da Educação Infantil relatam atraso de promoções à comunidade Projeto de lei permite regularização de obras na cidade