Escola de Evangelizadores: nona turma celebra formatura

Compartilhe

Com o objetivo de aprofundar a fé e intensificar a formação cristã, a Escola de Evangelizadores encerrou, na noite de ontem, 05, o ciclo da nona turma do projeto que, nos últimos dois anos, se reuniu semanalmente para discutir e refletir diferentes temas relacionados à vida, teologia e doutrina cristã. Também, a celebração – presidida pelo padre Ivanir Rodighero e concelebrada pelos padres Ladir Casagrande, Rodimar Mascarello, Ivanir Rampon, Fábio de Morais e João Foschiera – encerrou, ainda, o Curso de Extensão de Iniciação à Vida Cristã.

Sabedoria, fé e formação constante
Durante a homilia, o padre Ivanir destacou três pontos essenciais para a turma que encerrou as atividades: a sabedoria pelas coisas da fé; a fé é uma construção diária e a formação precisa ser permanente. “A sabedoria nos capacita para vivermos e vivermos bem com os nossos semelhantes. É preciso buscar, todos os dias, a sabedoria da fé. E essa fé, percebemos aos poucos, que é uma construção – ela não é dada em nosso nascimento, mas precisamos, ao longo da vida, construí-la”, iniciou. “O encontro com Deus nos torna plenos e precisamos continuar a nossa busca por aprofundar a nossa fé. A formação precisa ser permanente porque o mistério de Deus é muito grande e implica em fircarmos contemplando constantemente”, ressaltou e acrescentou, por fim, que estes três passos permitem se aproximar de Deus e dos irmãos através do amor. “Nosso amor cresce quando colocamos nossa vida a serviço dos outros”, concluiu.

Formação para seguir em frente
Para quem participou da formação, a sensação, ao fim do curso, é de crescimento, aprendizado e envolvimento com a Igreja. A turma, que escolheu como lema – “Evangelizar é como uma flor que ajuda a despertar a beleza de uma vocação” -, foi representada, ao fim da celebração, por Elizate Alves. A leiga fez uma retrospectiva dos temas abordados e ressaltou a importância de cada um deles para a evangelização. “Em agosto de 2016 ouvimos o chamado para sermos agentes leigos de evangelização. Assim, aceitamos e entendemos com alegria o sentido da liturgia, a importância da oração, a Bíblia, a amizade e outros temas trabalhados durante esse período”, comentou. “Fomos motivados a pensar que tipo de agentes de pastoral somos, entendemos que o perdão é uma decisão, não um sentimento, compreendemos um pouco mais de Mariologia e percebemos o desafio constante que é a catequese. Por fim, entendemos que conhecer Deus é experimentar sua doçura”, concluiu.

Para saber mais sobre a Escola de Evangelizadores ou se inscrever para a próxima turma, é preciso entrar em contato com as secretarias paroquiais.


Créditos: Sammara Garbelotto
Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Passo Fundo

Leia Também Cáritas Brasileira promove a Semana da Solidariedade Lançado em Passo Fundo o Observatório de Bioética do Regional Sul 3 da CNBB Morre dom Frederico Helmier, bispo emérito de Cruz Alta Observatório de Bioética: a vida em pauta