A juventude como protagonista

Postado por: Isadora Fochi

Compartilhe

A história mostra-nos que sermos protagonistas de nossa própria história é necessário, mais do que isso, é nosso dever enquanto jovens. Costumamos dizer que idade não é sinônimo de maturidade e nem de capacidade, então, nós, enquanto jovens, temos em nossas mão o poder de fazer diferença.

Em 1947 quando o movimento começou, as mentes pensantes eram jovens, e hoje, mais de 70 aos depois, esses continuam sendo essenciais para a propagação do tradicionalismo. Costuma-se dizer que jovem é toda aquela pessoa que se considera como tal, e tal afirmação está correta, afinal, o ser humano está em constante mudança, e seu pensamento também. Desta forma, a juventude é mis do que somente uma “fase” da vida, mas sim um grupo de pessoas que buscam ser a diferença, a mudança responsável por fazer prevalecer a essência tradicionalista.

Não se pode negar, hoje o jovem tem vez e tem voz no movimento, e aproveita destas oportunidades para expressar suas ideias, sua visão e suas sugestões. Novas mentes pensantes no Movimento são bem vindas, e juntando tais ideias com a experiência e sabedoria dos mais velhos tem-se um movimento forte, construtivo e visionário. Desta forma, ser um jovem tradicionalista ativo é expressar-se e usar de suas oportunidades, ao mesmo empo que escuta os jovens há mais tempo, sendo assim, protagonistas da própria história e da história do nosso movimento. Fazendo cada vez mais diferença, e tendo cada vez mais valor!

Leia Também A cilada do farol Coletivos urbanos Redução da maioridade penal só com uma nova constituinte Benefícios da semente de romã e saúde da pele