Cuidado para com as crianças e os adolescentes

Postado por: Gilnei Fogliarini da Costa

Compartilhe

Na sequência das dicas de segurança, gostaria de alertar para a vulnerabilidade de nossas crianças e adolescentes, pela sua fragilidade física e por sua ingenuidade, o que os leva a muitas vezes se tornam alvos fáceis de mal feitores, aproveitadores, criminosos sem o menor escrúpulo. 

Infelizmente continuamos nos deparado com noticiários sobre crianças vítimas de maus tratos e atrocidades. É brutal e revoltante, mas não somos capazes de fazer a justiça merecida. Desta forma nada mais importante do que evitarmos e prevenirmos que nossas crianças e adolescentes fiquem vulneráveis a eventuais abusos.

Se utilizarmos medidas básicas de segurança, contribuiremos para a preservação do bem estar das crianças. Primeiro, não devemos permitir que elas andem sozinhas pelas ruas, busque ter sempre um adulto de confiança ao lado delas. Ensine-os a pedir auxílio à Polícia (pessoalmente ou telefone) ou às pessoas conhecidas, quando perceber estranhos em atitudes suspeitas ou que estejam molestando.

Recomende para jamais aceitarem presentes ou convites de estranho para passear em carros, ir à praia, entrar em casas, terrenos ou garagens, mesmo que atraídas por promessas. Este é um recurso muito utilizado por maníacos, sequestradores e abusadores. Oriente-os para não desviarem do trajeto casa-escola-casa, sem prévio aviso. Selecione as companhias e o ambiente que eles frequentam. Esclareça sobre os riscos das drogas, fique alerta sobre os perigos e suas consequências, atente para a existência de comprimidos, seringas, cigarros estranhos, pacotinhos ou saquinhos plásticos com pó branco ou erva seca, entre os pertences de seu filho.

No trânsito leve as crianças no banco de trás do veículo, sempre utilizando a cadeirinha recomendável, e aos adolescentes sempre utilizar o cinto de segurança, não permitindo que coloquem as mãos ou cabeças para fora dos veículos. Jamais consinta que uma criança ou adolescente conduza um veículo, isso representa grande risco para eles, para os pais e para terceiros. Tudo na vida tem seu momento adequado, inclusive pilotar motos e guiar carros. Importante também orientar para que se afastem de situações perigosas, tais como: armas, acidentes, aglomerações, discussões, etc.

Conquiste a confiança deles, trate-os como amigos, demonstrando seu afeto e preocupação pelo seu desenvolvimento. Lembre-se que toda criança é vulnerável e depende sempre de bons exemplos dos adultos.

 

Leia Também O cão, o trigo e o Fusca Não incide IOF sobre fluxo financeiro em participação em sociedade “Enviados para testemunhar o Evangelho da paz” Solução para o atraso