Seminário debate os desafios da inclusão nas escolas

Compartilhe

O Seminário de Educação Especial Inclusiva e Direitos Humanos é o resultado de uma pesquisa de Mestrado para a Universidad Nacional Três de Febrero de Buenos Aires-Argentina, realizado pela professora Especialista em Educação Especial Inclusiva, Elisângela de Fátima Rizzatto. Ela realizou pesquisa em escolas do RS sobre como está ocorrendo a inclusão dos alunos com deficiências nas escolas regulares e verificou que mais de 80% dos professores não tem formação em como trabalhar com a inclusão dos alunos com deficiências. “Na maioria das vezes a grande resposta dos profissionais de educação foi: ‘Não tenho formação, não sei como trabalhar com o aluno com deficiências junto com os demais alunos ditos ‘normais’”, aponta Elisângela.

A partir desta pesquisa a mestranda iniciou a organização para a realização de um Seminário onde se pode discutir, informar, dialogar e mostrar que a pessoa com deficiência tem muitas eficiências. “Devemos quebrar o preconceito de trabalhar com a criança com deficiência ou mesmo com altas habilidades e transformar uma pesquisa em ação. Queremos ajudar a desmitificar a inclusão”, esclarece.

Neste ano, na terceira edição, a IMED por intermédio do trabalho da professora do curso de psicologia Claudia Furlanetto e do prof. Amilton Rodrigo Quadros Martins, líder do Programa InovaEdu será parceira e irá sediar o evento. O III Seminário de Educação Especial Inclusiva e Direitos Humanos será realizado nos dias 03 a 05 de setembro de 2018. Paralelo ao evento será realizada a I Feira de Tecnologia Assistiva, sendo que o tema deste ano será: O uso da Tecnologia Assistiva Promovendo a Autonomia e Inclusão na Escola e Sociedade. O Seminário tem o apoio das associações APAE, APAS, APACE, AUMA, ACEMUN, Atils, Secretária de Educação de Passo Fundo, 7ª CRE, e os 29 municípios que fazem parte do Arranjo de Desenvolvimento da Educação Norte Gaúcho.

Entre os palestrantes estão a Dra. Maria de Mello, terapeuta Ocupacional, Adilso Luis Pimentel Corlassoli, especialista em educação especial na área de deficiência visual e o Dr. Claudio Luciano Dusik, psicólogo. “É um orgulho para mim ver que uma pesquisa de mestrado se tornou uma ação e mobilização para todos que trabalham com a desmitificação e conceitos de inclusão e o seminário de educação especial inclusiva e Direitos humanos. Hoje, em parceria com a IMED terá um crescimento cada vez maior pois é necessário discutirmos, entendermos, fomentarmos a formação de profissionais de educação e de diversas áreas afins sobre um tema que está presente em todos os setores”, destaca a professora Elisângela.

Para que se construa uma escola em que todos tenham direitos iguais de aprendizagem com um atendimento pedagógico por parte de profissionais da educação que sigam a Lei de Diretrizes de Base da Educação Nacional (Lei nº 9.394/96) e a Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva (Decreto nº 6.571/2008) há a necessidade de oferecer subsídios aos educadores/as. Conforme Elisângela só assim será possível constituir práticas promotoras de uma educação de qualidade para todos/as. Isto exige propor referenciais de construção com formações continuadas para os profissionais da educação que possibilitem informação, capacitação e formação para realizar a escola inclusiva na qual se promova a igualdade, o respeito e a dignidade, a autonomia individual e inclusive a liberdade de se desenvolver conforme a capacidade cognitiva própria de cada um/a com o apoio especializado e pedagógico necessário nas escolas regulares. “O seminário dará oportunidade ao profissional de educação e de diversas áreas a ver e desmitificar a visão de pessoas deficientes como pessoas cidadãs que fazem parte de nossa sociedade e que devem ter as mesmas oportunidades de aprender respeitando o seu modo e tempo de aprender”, finaliza a coordenadora.

 

Edições anteriores

O primeiro seminário (2016) aconteceu a partir de uma visão de direitos humanos e do conceito de cidadania fundamentado no reconhecimento das diferenças e na participação dos sujeitos, decorre a identificação de mecanismos e processos de hierarquização que operam na regulação das desigualdades. 

O II Seminário de Educação Especial Inclusiva e Direitos Humanos (2017) a partir do tema: Desafios para a Construção de uma Escola Inclusiva, teve como objetivo divulgar e socializar metodologias pedagógicas do conhecimento da área de Educação Especial/ Educação Inclusiva/diversidade/ direitos humanos, com vistas a fomentar políticas públicas, enriquecer as práticas pedagógicas inclusivas e promover o intercâmbio entre pesquisadores e profissionais da educação e áreas afins.

 

 

Foto: Arquivo/IFIBE


Leia Também Jornadas Literárias de 2019 já têm data marcada Tudo preparado para o sucesso do 3° Canto Galponeiro Jornada Nacional de Literatura será tema de documentário IMED promove palestra com ex-ministro da Saúde Ademar Chioro dos Reis