Arsenal utilizado por facção criminosa é apreendido e três pessoas são presas

Compartilhe

Depois de três meses de investigações e com a ajuda de denúncias da população, a Polícia Civil, por meio da 3ª Delegacia de Investigações do Narcotráfico do Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico (3ºDIN/Denarc), localizou e apreendeu um arsenal de armas e munições. O material era utilizado por uma organização criminosa que atua na Capital. A operação Esquadra, assim batizada em função dos objetos encontrados - utilizados na linha de frente pela organização –, também resultou na prisão de um homem e duas mulheres. O mandado de busca e apreensão foi executado na manhã desta terça-feira (08) e teve como alvo uma residência no bairro Cascata, em Porto Alegre. A casa era utilizada pelos criminosos como esconderijo para armas, munições, drogas e dinheiro, além de ser o local onde a contabilidade do tráfico era feita.

Entre o material apreendido, os policiais civis localizaram uma máquina de choque, provavelmente utilizada para tortura; cinco fardas do Exército Brasileiro; R$ 5.280,00, um veículo Fiat Stilo e cadernos com anotações contábeis. Também havia quatro pistolas novas, todas de calibre restrito; uma espingarda de pressão; uma mira laser e diversos carregadores de pistola de calibres variados, sendo um para 30 munições e outro em formato de espiral, conhecido como ”caracol”. Drogas como maconha e cocaína também foram apreendidas.

Conforme o delegado Rafael Pereira, a ação desarticulou um importante elo de uma organização criminosa de Porto Alegre. “Ressalta-se ainda que tal facção é extremamente violenta, sendo de extrema importância a retirada das armas e das roupas do exército da posse dos criminosos”, afirmou. Já segundo o diretor de investigações do Denarc, delegado Mario Souza, o que chamou atenção dos policiais foi a máquina de choque e o esconderijo bem elaborado pelo grupo. “Foi uma quantidade bem considerável de armas de fogo de uso restrito retiradas das mãos da facção criminosa”, analisou.

A Polícia Civil ainda deve aprofundar as investigações e repassar ao Exército Brasileiro informações sobre as fardas encontradas. Também solicitará perícia nas armas apreendidas para apurar a utilização das mesmas em outros crimes. “As investigações continuam e os documentos de contabilidade serão analisados para eventual inquérito policial de lavagem de dinheiro”, concluiu o delegado Mario Souza.
__
Créditos: Polícia Civil 

Leia Também Tudo dominado: 3º BOE na linha de frente contra o crime DEFREC captura foragidos em Passo Fundo Brigada Militar receberá doação para equipamentos de proteção para ROCAM Polícia Civil realiza prisões e apreensões com a Operação Breaking Bad