Dignidade aos presos vai refletir em mais segurança na sociedade

Postado por: Ronaldo Rosa

Compartilhe

O Ministério Público e o Conselho Comunitário do presídio estarão dando um passo importante no trabalho de ressocialização dos apenados nesta semana. Será criada em Passo Fundo a APAC – Associação de Proteção e Assistência aos Condenados. A população precisa entender que tudo que acontece dentro dos presídios, acaba refletindo na nossa sociedade. A pessoa que está presa já está pagando pelo crime que cometeu e a privação da liberdade deve ser feita com um mínimo de dignidade, o que não acontece hoje, onde além de presa, a pessoa é tratada pior que bicho, ou seja, condenada duas vezes. Entre as medidas para melhorar essa situação está a criação de uma Colônia Penal na cidade, ideia que tem a minha adesão, inclusive formalizei na Câmara uma proposta para que a antiga escola aberta, abandonada na BR 285 seja liberada para esta colônia. Temos que envolver os condenados com coisas produtivas e positivas, profissionalizar, para que consigam voltar ao mercado de trabalho, ao término da pena e promover a ressocialização. Os presos ficarem dentro dos presídios sem fazer nada, da chance para ficarem maquinando novos crimes e cultivando um ódio pela sociedade e quando sair com certeza irá reincidir no crime. É preciso mudar este caminho, possibilitar pelo menos para aqueles que realmente querem que possam voltar a serem pessoas de bem na sociedade, tudo, é claro, acompanhado de perto pelo Poder Judiciário e MP.

 

Índios invadem área da futura penitenciária feminina

A coisa está tão bagunçada no nosso país, que agora até os índios que gozam de uma legislação diferente, com benefícios que outras categorias não têm, estão se achando no direito de invadir áreas públicas e se apropriar indevidamente dos espaços. O tal do novo presídio, que está para ser construído na divisa de Passo Fundo com Carazinho, tem mais um entrave para resolver. Famílias indígenas invadiram a área nesta semana, portanto uma nova novela pela frente. Isso é consequência da irresponsabilidade e incompetência do Poder Público, que passado muitos anos não consegue tirar aquela obra do papel, principalmente por interesses políticos. É lamentável esse tipo de situação, que prejudica toda a população, inclusive a de Carazinho, que através de seus representantes fez de tudo até aqui para impedir este investimento. Enquanto isto não tem uma penitenciária feminina decente na região, para separar homens e mulheres, está tudo junto e misturado, prejudicando e muito a recuperação de todos.

 

Dizem por aí... Que quando empresários e comerciantes superarem o preconceito, teremos a recuperação de muitos presos, que só precisam de uma oportunidade de trabalho. Será verdade?

Leia Também Vêm aí momentos ainda mais difíceis para o funcionalismo do Estado Bolsonaro deve ou não desfilar em carro aberto? População quer mais humanização no atendimento médico Concessões e privatizações para salvar o Estado