Romaria de Nossa Senhora Aparecida: um clamor pela paz

Compartilhe

O mês de agosto anuncia a proximidade da Romaria Arquidiocesana de Nossa Senhora Aparecida, considerada a segunda maior celebração do país em homenagem à padroeira. Em 2018, a festa, que acontece no dia 14 de outubro e reúne milhares de fiéis em Passo Fundo, chega na sua 38ª edição e já está sendo preparada por diferentes equipes de voluntários que se dividem no trabalho de concretizar a proposta da Romaria. Neste ano, o lema - “Aparecida, clamamos por paz” – segue a reflexão proposta pela Campanha da Fraternidade e sugere a superação da violência através da oração, da fraternidade e da unidade.

Oração em torno da paz

Além do lema que orienta as celebrações, a Romaria também definiu três intenções de oração: “Para que o nosso clamor por paz nos comprometa na superação da violência, fruto de tantas injustiça em nossa sociedade”; “Para que em cada comunidade surjam novas vocações e, a exemplo de Maria, deem seu sim generoso a Deus” e, por fim, “Para que nossas comunidades eclesiais assumam as urgências pastorais do 17º Plano de Evangelização de nossa Arquidiocese”. A proposta é, segundo o padre Daniel Feltes, reitor do Santuário Nossa Senhora Aparecida, fortalecer, através do lema e das intenções, as orações em torno de Aparecida e marcar, de fato, uma reflexão em torno da paz. “Através do nosso lema, buscamos a paz. E esse nosso clamor sobe a Deus como oração através de Nossa Senhora Aparecida e Deus nos compromete também, pede a nossa colaboração para construir o mundo de fraternidade e paz que tanto desejamos”, coloca.

Preparação e espiritualidade

Buscando a preparação para as celebrações de outubro, o Santuário recebe a comunidade mensalmente para a novena em honra à Nossa Senhora Aparecida – celebrada no dia 12 de cada mês. Além disso, no último domingo, 12, iniciou a novena dominical, que acontece sempre às 16h e envolve os padres e grupos da Arquidiocese para refletir, através da liturgia, a proposta de paz trazida pela Romaria.  “A Romaria não é um evento isolado, que acontece apenas em outubro. As novenas nos ajudam a recordar e fortalecer essa percepção. Também, a Romaria vai acontecendo ao longo da nossa vida, somos peregrinos, somos pessoas em busca. Cantamos sempre “Maria, mãe dos caminhantes, ensina-nos a caminhar” e é importante vivermos isso de fato. É momento de viver essa preparação, essa fé, e nos fortalecer no compromisso em torno da paz”, complementa o padre.

 

Celebração de fé

Além da novena e da própria Romaria – ponto alto das comemorações -, a programação oferece, tradicionalmente, diferentes oportunidades de encontro da comunidade com a santa. A programação inicia na sexta-feira, 12 de outubro, com diferentes celebrações durante o dia e, especialmente, a Romaria das Crianças, às 14h. No sábado que antecede a procissão, 13 de outubro, o Santuário acolhe a Romaria da Pessoa Idosa com celebração festiva, às 16h. Além disso, durante o dia 14 de outubro, acontece, também, a 5ª Mostra de Ações Sociais Solidárias – que envolve os grupos da economia solidária acompanhados pela Cáritas Arquidiocesana.



Créditos: 
Sammara Garbelotto
Assessoria de Comunicação
Arquidiocese de Passo Fundo

Leia Também Arquidiocese discute emergências sociambientais Começam preparativos para a 33ª Romaria Vocacional de São Domingos do Sul Angelus: papa destaca importância dos novos santos Muita emoção na Romaria de Nossa Senhora Aparecida