Homenagem a clubes da cidade gera polêmica

Postado por: Ronaldo Rosa

Compartilhe

Muita gente ficou chateada com a homenagem realizada, na abertura do Festival de Folclore, em Passo Fundo, quando apenas o S.C.Gaúcho  e o extinto 14 de Julho, foram lembrados. Tenho certeza que intenção dos organizadores não foi provocar ninguém, nem causar polêmica, mas o fato do Esporte Clube Passo Fundo não ter sido lembrado provocou a reação de muitos torcedores nas redes sociais criticando o acontecido. A velha rivalidade do futebol que aparece até num momento de festa.

 

Redes sociais cada vez mais influenciando na vida real

Estamos vivendo dois mundos, num só, se é que isso seja possível. Tenho conversado com algumas pessoas e sentindo como as opiniões, publicações em redes sociais, principalmente no Face, tem mexido com o psicológico de quem lê. O Facebook virou um espaço onde muitos covardes se sentem a vontade para criticar, acusar e julgar os outros. Também um espaço onde pessoas que nunca fizeram nada, por ninguém, que se olham para o próprio umbigo, ficam dando opinião sobre tudo, como se tivessem estudo e conhecimento de causa. São verdadeiros juízes sabem o que é certo e o que é errado. Isso não teria problema, se as pessoas estivessem preparadas para absorver determinadas posições e não se deixassem levar. Tem gente que fica depressiva ao receber uma ofensa virtual, muitos caem de cama, inclusive. Uma pena que algo que a tecnologia nos proporciona, que deveria ser para o bem da humanidade, esteja fazendo tanto mal.

 

Proprietários precisam ser conscientizados sobre o passeio público

A discussão sobre o tema das condições das calçadas em Passo Fundo, no programa Frente e Verso, da Rádio Planalto, foi bem interessante. C om a presença do presidente da UAMPAF, Luiz Valendorf, do secretário Cristiam Thans e a participação de muitas pessoas foi possível chegar à conclusão que a lei está certa. A responsabilidade pela construção, manutenção e utilização é do proprietário do imóvel, cabe à prefeitura fiscalizar, notificar e multar se a lei não for cumprida. Depois em outra instância, no caso de algum acidente envolvendo pedestres por causa das péssimas condições do local, aí a Justiça, na maioria das vezes, condena o município, que por sua vez tem condições de repassar o prejuízo para o proprietário, via medidas fiscais administrativas. O bom é que nada disso aconteça e que haja a conscientização da importância do passeio público, valoriza o imóvel, embeleza a cidade, melhora a qualidade de vida de todos, traz harmonia na mobilidade urbana, ou seja, só faz bem. Talvez uma campanha neste sentido, como tem acontecido em outras cidades, melhore esse aspecto aqui também. Com diálogo e boa vontade todos saem beneficiados.

 

Dizem por aí... Que muitos proprietários de imóveis não sabem que, se fizerem calçada em frente de casa, terão desconto no IPTU. Será verdade?

Leia Também Mentira desmascarada Linda ou ridícula? Muito obrigado Dom Urbano! O respeito à propriedade alheia