Antecessores do Fusca – parte II

Postado por: Júlio César de Medeiro

Compartilhe

Se os esforços de Ferdinand Porsche em conjunto com a Zündapp para a fabricação em massa do Volks Auto haviam fracassado já em 1932, logo no ano seguinte nova empreitada em busca do caro do povo estava em andamento, desta vez com a NSU.

A NSU foi uma fábrica alemã que desde 1873 construía carros, motos e bicicletas. Em 1969 foi incorporada pela própria VW e depois passou a integrar o que resultou na AUDI de hoje.

Em 1933, aproveitando as ideias e a experiência adquiridas com o projeto anterior, Porsche desenvolveu para a NSU o Typ 32, um protótipo mais refinado e que acabou bem parecido com Fusca como o conhecemos.

Optou por um motor de quatro cilindros refrigerado a ar, também montado na traseira do carro, suspensão com barras de torção, um pouco mais de conforto e espaço interno e um preço final estimado um ligeiramente mais elevado que o modelo da Zündapp.

Mesmo com um projeto mais refinado e melhor acabado, com o valor da unidade maior que o esperado, a NSU não conseguiu o aporte financeiro suficiente para produzir o Typ 32 em escala industrial e em 1934 desistiu do projeto. O professor Porsche, que sempre construía 3 protótipos, mais uma vez manteve um para si, que hoje está no museu da VW. Os outros dois desapareceram sem deixar vestígios, engolidos pela 2ª Guerra Mundial.

Esses protótipos da NSU, mesmo que não tenham sido produzidos em escala, contribuíram valiosamente para que o Fusca chegasse à sua configuração atual, principalmente quanto ao formato aerodinâmico e ao motor boxer, que o acompanhou durante toda a sua existência.

Na próxima semana, a história do carro de luxo da extinta Tchecoslováquia que foi exterminado por causa do Fusca.

Um grande abraço e até lá!

Leia Também Bolsonaro, 2019!!! Comer doce vicia? 560 mil quilômetros de histórias e contando Negócios da área da saúde e a preocupação ambiental