Escutar, ler e discernir!

Postado por: Ari Antônio dos Reis

Compartilhe

O mês de setembro é decisivo para o próximo pleito eleitoral.  Pode ser um tempo de graça e de construção do futuro mais alvissareiro para o Brasil. Todos os cidadãos são responsáveis por esta construção e não apenas os candidatos, que neste tempo apresentam seus planos de governo. Lembro aqui três situações cruciais que devem ser avaliadas com muito carinho devido a sua importância para a maioria dos brasileiros. É o tempo de escutar e ler as propostas. Em seguida discernir e escolher que é melhor para o país a partir do preceito de que a política é a arte de buscar o bem comum.

 Estejamos atentos para as propostas apresentadas quanto à saúde pública.  O acesso ao tratamento de saúde para os brasileiros ainda é muito difícil, apesar da sensível melhoria na atenção básica, responsabilidade dos municípios. É preocupante o atendimento em situações mais complexas, sobretudo as especialidades. A demora nos exames e o posterior cuidado terapêutico geram muito sofrimentos naqueles que necessitam desses serviços. Ainda sobre a saúde, lembro que temos um dos melhores sistemas públicos de saúde do mundo, o SUS. A questão não é a construção de outro sistema, mas garantir a execução e qualificação do que já temos, viabilizado pelo SUS.  

O segundo elemento que exige atenção é a educação nos diferentes níveis. Houve melhoria nos níveis da educação infantil. Contudo os dados divulgados recentemente dizem que a situação é preocupante nos ensinos fundamental e médio. O acesso ao ensino superior, em torno de 12% ainda, tem percentuais muito baixos se comparado aos outros países.

A terceira preocupação diz respeito às condições básicas de vida. Em uma país com tanta riqueza não é concebível que a miséria e pobreza ainda prevaleçam. Estamos retrocedendo neste quesito. A criação de programas de geração de renda tem revelado bons resultados e as pesquisas comprovam. Se bem monitorados se constituem um bom caminho para o enfrentamento destas duas problemáticas que ferem a dignidade de muitos brasileiros.

O período pré-eleitoral é um tempo de escuta, de leitura, de tomarmos conhecimento dos programas de governo e fazermos o bom discernimento. Eles dizem da intenção do candidato. E os programas deveriam explicitar com clareza as iniciativas quanto à estas problemáticas.

A saúde, educação e direito ao alimento e água, antes de serem bens de mercado, são constitutivas da dignidade do ser humano.

Leia Também Pe. Eduardo Pegoraro Cabível condenação de honorários sobre compensação de créditos tributários Um estouro de carreata Pe. Eduardo presente!