Vereadores fazem sessão no CTG União Campeira

Compartilhe
O dia 20 de setembro, como lembra o hino do Rio Grande do Sul, é considerado o precursor da liberdade. Há 173 anos, gaúchos encerravam a guerra civil mais longa do Brasil, que, iniciada, em 1835, por conta dos altos impostos que vigoravam, terminou, dez anos depois, com o princípio do ideal separatista.
Para muitos gaúchos, setembro é tempo de celebrar as batalhas pela liberdade frente às injustiças advindas do governo. Participando dos festejos que acontecem durante a Semana Farroupilha, a Câmara organizou uma Sessão Ordinária especial. A reunião dos vereadores dessa segunda-feira (17) ocorreu no CTG União Campeira, no Bairro Santa Maria.
A iniciativa foi da Mesa Diretora. O presidente, Pedro Daneli (PPS), identifica que, assim como na Revolução Farroupilha, quando o governo gaúcho foi descentralizado para outros municípios, que foram tornados, temporariamente, capitais do poder, a Câmara de Vereadores também saiu de sua Casa para estar ainda mais próxima do povo. "Nesta descentralização, o mais importante é irmos até os bairros para dar a oportunidade à população que não tem como acompanhar o dia a dia das Sessões, onde acontecem votações e discussões que mudam a cidade. Ao propor essa alteração na nossa rotina, procuramos fazer com que as pessoas conheçam como funciona o trabalho dos vereadores que elas elegeram e também ouvir as reivindicações que têm, permitindo que elas integrem as mudanças".
Essa é a quarta vez que a Sessão, durante a Semana Farroupilha, é levada da Câmara para um CTG. Em 2014, a iniciativa começou pelo Lalau Miranda, a primeira entidade de Passo Fundo e uma das mais antigas do Estado. Em 2015, a reunião foi realizada no Fagundes dos Reis, o segundo CTG mais antigo do município. No ano passado, foi a vez do CTG Osório Porto, que comemorava 50 anos.
Um dos representantes da região do Bairro Santa Maria na Câmara, Renato Orlando Tiecher (PSB), destacou que o CTG escolhido para 2018 também está completando o seu cinquentenário e que merece ser reconhecido pelo Município por ser um espaço de integração da comunidade. "Faço parte do União Campeira desde 2004. Esse CTG tem uma história linda, feita pela patronagem e pelas pessoas, que, inclusive, estão aqui, participando deste momento importante para a nossa cidade", disse.
O patrão, André Acco, ressaltou que a Sessão marca este meio século da entidade, que, em 2019, passará por um processo de transição e será deslocada para outro prédio. "Estamos num momento de celebrações e de crescimento. Ao mesmo tempo em que festejamos a Semana Farroupilha e os nossos 50 anos, pensamos nesta mudança de local, que é necessária para que continuemos trazendo as pessoas para o CTG", reiterou.
A coordenadora da 7ª Região Tradicionalista (RT), Gilda Galeazzi, mensura que aproximadamente 40% da população sul-rio-grandense participam da preservação da cultura do Estado. Para ela, é imprescindível que os vereadores apoiem o Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG) e estejam envolvidos em suas ações. "Em Passo Fundo, nós temos 17 entidades. Esperamos que, no ano que vem, sejamos contemplados com uma Sessão semelhante, em outro bairro", comentou.
Moradores do bairro estiveram presentes. Entre eles, Maria Irma Oliveira, que assistiu à Sessão pela primeira vez. A aposentada afirmou que só havia visto uma reunião plenária por meio da TV Câmara. "Acho importante acompanhar o trabalho dos nossos vereadores. Essa iniciativa também faz com que eles conheçam mais a fundo as nossas necessidades", enfatizou.

Ordem do Dia
Embora especial e com algumas modificações, a Sessão contou com o período destinado às votações. Na oportunidade, foi aprovado o Projeto de Lei que insere no calendário oficial do município o Rodeio Internacional de Passo Fundo.
A proposta foi feita pelo vereador Fernando Rigon (PSDB), considerando que a oficialização do evento eleva a sua importância cultural. "Instituindo o evento, estaremos dando mais força para que ele seja realizado", enfatizou.
O Rodeio Internacional, que, em 2018, estará em sua 18ª edição, reúne participantes do Brasil e de outros países sul-americanos, como da Argentina e do Uruguai. Conforme o projeto, a realização do evento deve acontecer no mês de dezembro dos anos pares.

Créditos: Comunicação/Câmara de Vereadores

Leia Também Idosos alunos da Oficina de Literatura lançam livro de contos e poemas Capes aprova doutorado em Bioexperimentação na UPF Cantata Natalina: até 2019 Atendidos pelo Hospital Psiquiátrico Bezerra de Menezes celebram o nascimento do Deus menino