Comprometimento

Postado por: Isadora Fochi

Compartilhe

O tradicionalismo é um movimento que além de cívico, é agregador e multiplicador dos conhecimentos. Isso o diferencia, de certa forma, na sociedade atual, pois além de ensinar muitos fatos na teoria, ele nos dá exemplos de como colocar o que nos diz, por exemplo, nos vinte e nove itens da carta de Princípios, em prática. Esse documento, criado em 1961, durante o 8º Congresso Tradicionalista é um exemplo de tese que, embora antiga, é tão atual e descreve o que hoje se faz tão necessário na sociedade.

O campo de abrangência desse movimento é muito grande, e abriga uma gama de talentos em diversas áreas. Incentivar sua continuidade é muito importante, mas também, ensiná-los a cultuar os valores de outrora se faz essencial. Nos torneios de laço, nos concursos culturais, nas danças, vemos, por vezes, exemplos de atos de disciplina, sem contar que essas atividade criam no jovem que participa um espírito de liderança, mas antes disso, de responsabilidade, de cumprir com a palavra que foi dada.

Com tudo isso, volta-se a afirmar o quão importante é apresentar às pessoas que participam do movimento as regras do mesmo, principalmente aquelas escritas na Carta de Princípios de Glaucus Saraiva. A partir disso, somente será fortalecido o compromisso desse individuo com o tradicionalismo, seja ele, atuante em qualquer uma das áreas que compõe tal movimento.

Leia Também 560 mil quilômetros de histórias e contando Negócios da área da saúde e a preocupação ambiental Declaração Universal dos Direitos Humanos As saídas temporárias dos presos