Eleições para o Legislativo!

Postado por: Ari Antônio dos Reis

Compartilhe

Na última semana do período pré-eleitoral as preocupações estão voltadas para as candidaturas ao executivo. Tem saído muitas pesquisas com a variação das intenções de voto e nas redes sociais acontecem debates acirrados em prol deste ou daquele candidato.

 Mas não é possível esquecer a importância das eleições aos mandatos de senador, deputado federal e estadual. Meses atrás, por ocasião de algumas votações polêmicas na Câmara Federal, com farta cobertura da mídia, pudemos ver a qualidade dos ocupantes daquela casa legislativa. Foi pitoresco o fato da deputada que, por ocasião de uma votação, exaltava o marido como padrão de honestidade. No dia seguinte, ele foi preso pela Polícia Federal devido ao envolvimento em esquema de corrupção na rede de saúde pública. 

A preocupação com a atual legislatura em nível e Câmara Federal tem alguns acentos, a saber: descompromisso com o exercício do mandato em vista do bem comum; compromisso com pautas corporativas; articulação de conchavos privilegiando interesses particulares; exercício político marcado pelo “toma lá dá cá”, sem a mínima preocupação com a ética do exercício parlamentar; fluidez ideológica. Este é o retrato da Câmara legislativa Federal.

Contudo, o poder legislativo tem muita importância nos três níveis: municipal, estadual e federal. É o lugar da criação e votação de leis que implicam na vida de todos os brasileiros. Os ocupantes dos cargos executivos governam dialogando com as casas legislativas. Estas podem favorecer ou dificultar o trabalho do governador ou presidente da república, cargos em disputa este ano.

No próximo dia 07 de outubro estes mandatos passarão por novo processo eleitoral. Causa preocupação a falta de debates sobre nomes e as pautas destes candidatos. Muitos brasileiros ainda não sabem em quem votar e certamente decidirão seu voto nas últimas horas, sem uma reflexão mais aprofundada. Então, o convite para que avaliemos quais são os candidatos ao senado, deputado federal e estadual. Façamos perguntas sobre sua conduta enquanto cidadão; se tem contribuído para uma sociedade melhor. Avaliemos suas propostas: o que defende explicitamente, pautas que apoia, projetos que está sugerindo. São alguns critérios para a escolha do candidato. Caso eleito acompanhemos o exercício do mandato. Somos responsáveis, enquanto cidadãos, pela conduta da pessoa que elegemos. 

Leia Também Não incide IOF sobre fluxo financeiro em participação em sociedade “Enviados para testemunhar o Evangelho da paz” Solução para o atraso Eleição Presidencial: A ecologia não é questão secundária!