Invasão nerd na IMED

Compartilhe

Um estilo de vida em que as pessoas se interessam por tudo que está relacionado a uma determinada cultura, os geeks, têm atitudes peculiares, atraídas por todas as novidades no mundo da tecnologia e apaixonadas pelo que fazem.

Para este público, aconteceu o Anime Tchê, que reuniu mais de mil pessoas circulantes na IMED. O evento dedicado a exaltar a cultura japonesa teve atividades com quadrinhos, desenhos animados e games nipônicos, onde os fãs puderam jogar games, RPG e cards, cantar no animekê (caraoquê), assistir a filmes e palestras.

A grande atração do dia foi a dubladora Úrsula Bezerra, conhecida como a voz dos personagens Goku criança no anime Dragon Ball e Naruto Uzumaki no anime Naruto. Ela pertence a uma família de cinco dubladores, em que três ainda fazem parte desse ramo, Ulisses Bezerra e Wendel Bezerra. Úrsula começou a dublar em 1982 ao lado de seus irmãos. “Eu dublo desde criança, já tinha feitos outros trabalhos de anime, como Jaspion, Ultraman, isso já faz bastante tempo e quando começou ter a explosão de animes, o primeiro foi Cavaleiros do Zodíaco, trabalhei junto com meu irmão, Ulisses, depois vieram outros. Eu fiz o Dragon Ball Z, eu dublava o Chaos. O Goku entrou na minha vida depois, quando fomos fazer a redublagem da série aí na época, a pessoa que tinha feito o personagem estava morando nos Estados Unidos, então foi feita uma nova seleção, onde não queriam que fosse uma criança dubladora em função da quantia de episódios e também do prazo que eles tinham, seria exaustivo. Então foi feito um teste com pessoas que faziam vozes de crianças, de meninos e eu lembro que foi engraçado, porque meu irmão já fazia o Goku e chegou fazer o teste e brincávamos que eu era o Gokuzinho e ele o Gokuzão”, aponta Ursula.

Em 2008, ela recebeu um Prêmio Yamato, considerado o Oscar da dublagem, por seu trabalho fazendo a voz do personagem Naruto. “Muito tempo depois o Naruto surgiu na minha vida profissional e eu nem me imaginava o que viria pela frente, porque muitas vezes, nós dubladores não conhecemos ou não temos as informações de toda a série. Eu não tinha muita noção de quem era Naruto, que já era muito conhecido, não sabia do alcance que ele tinha. Eu fui a última a fazer o teste, fizeram com todos os meninos da dublagem, para depois começarem as mulheres, mas eu não fui chamada de primeira, passei por quatro avaliações até uma customização das formas como eu falava, em que os diretores foram adaptando até chegar ao que eles queriam”, esclarece Ursula.

A dubladora chegou pensar em desistir, mas assim como o personagem a quem ela daria a voz, que não desiste de suas batalhas, foi em frente. “Cheguei pensar que não ia dar pra mim, mas fui incentivada por um amigo a não desistir porque a série era grande, e dublador adora séries grandes, independente do estilo, é um trabalho que você vai fazer por bastante tempo. E deu certo, dou voz ao Naruto faz aproximadamente 10 anos”, aponta .

Para Ursula, a ascensão dos animes começou nos anos 90 e foi ganhando cada vez mais adeptos. “O que mais me chama a atenção hoje é que percebo há alguns anos que as pessoas começaram entender que quem gosta de animes não são loucos e desvairados, é uma cultura que está cada dia maior tanto que temos eventos em cidades pequenas, antes eles aconteciam apenas em grandes centros. Viajo para lugares para eventos assim como este, para todos os cantos do país. As pessoas também começaram entender, que estes desenhos ensinam as crianças a não desistir tão fácil das coisas, já ouvi relatos de pessoas que saíram de quadros de depressão que conseguiram mudar porque se espelharam na força e resiliência do Naruto. Outro fato importante, é que estes eventos têm muita família, muita criança, onde não se vê briga, confusão. O público acaba interagindo e de expectador, se tornam atrações, e esta troca faz crescer ainda mais este tipo de evento”, esclarece.

 

Anime Tchê

O grupo foi criado no ano de 2007, com a proposta de promover um evento anual na cidade de Passo Fundo. Há quatro anos o evento é realizado na IMED, e conta com uma média de 30 colaboradores.

Para um dos integrantes da comissão organizadora do evento, Johny Kossmann, a edição deste ano trouxe muito conteúdo para o público. “Avaliando o evento, tivemos um número de participantes muito grande, a cada edição que realizamos na IMED e com isso trazemos mais prestígio para a cidade por se tratar de um tipo de evento diferente e voltado para a família, cultura, esporte e entretenimento. A presença da dubladora Ursula Bezerra trouxe uma experiência muito gratificante, comentou sobre a sua carreira, e como foi interpretar personagens importantes. Realizamos atrações em sala de aula como KPOP, artes marciais, workshop de desenho, vídeo games, sala temática de harry potter, card games e também tivemos um número recorde de participantes no concurso cosplay (participante se veste de seu personagem favorito). O Anime Tchê foi um momento muito importante para nossa cidade por incentivar a cultura e receber diversas mensagens e sugestões de melhorias para o evento, tornando cada vez melhor a experiência de nossos participantes e aumentando o valor educacional que proporcionamos a cada edição a Passo Fundo e região” argumenta Kossmann.

Além da dubladora Úrsula Bezerra, outras atrações prenderam a atenção de quem passou pelo evento, como a Liga dos Heróis, que é composto por 15 Cosplayers de heróis, a Copa LOL (League of Legends), Concurso de Cosplay, AnimeQuiz, AnimeKe, Sword Play, demonstração de artes Marciais, e salas temáticas como a sala Pokémon, sala Harry Potter, sala RPG, sala Kpop (música popular coreana), sala Board games, sala de Fliperamas, sala Games, e atividades em parceria com a Time Escape Game.

 

Foto: Liliana Crivello/IMED

 

Leia Também Jornadas Literárias de 2019 já têm data marcada Tudo preparado para o sucesso do 3° Canto Galponeiro Jornada Nacional de Literatura será tema de documentário IMED promove palestra com ex-ministro da Saúde Ademar Chioro dos Reis