Encontro mobiliza ciclistas e poder público em prol da mobilidade ativa

Compartilhe

Na tarde da última sexta-feira (05), ocorreu uma audiência pública na sede do Ministério Público de Passo Fundo, solicitada por representantes de ciclistas locais, que iniciaram uma discussão sobre a segurança durante a prática do esporte nas ruas e rodovias. Os vereadores Ronaldo Rosa (SD) e Luiz Miguel Scheis (PDT), integrantes da Comissão de Patrimônio e de Desenvolvimento Urbano e do Interior (CPDUI), participaram do evento, juntamente com representantes da Polícia Rodoviária Estadual e Federal, da Brigada Militar, do Executivo e de entidades ligadas ao tema da mobilidade ativa.

A primeira manifestação foi de um dos integrantes do grupo dos ciclistas, Fábio Woitchunas, que chamou atenção para a necessidade de melhorias na sinalização das ciclovias em pontos importantes da cidade. Embora tenha ponderado que a atual administração “foi a primeira que, de fato, se importou com os ciclistas passo-fundenses, providenciando a construção das ciclovias”, reiterou que é preciso fazer vários ajustes nas vias “para que o ciclista tenha mais segurança”.

A secretária de Planejamento, Ana Paula Wickert, reforçou a observação feita por Fábio sobre o fato de a ciclovia ser uma realidade em Passo Fundo a partir do atual governo. Ela também apresentou dados sobre a elaboração do projeto, um estudo feito em relação ao uso de veículos no município e o índice de acidentes relacionados a cada um destes. “Vimos que o plano era totalmente viável por questões físicas e pelo fato de, até 2014, apenas 0,4% dos acidentes registrados na cidade foram com bicicletas”, destaca.

Ana Paula sublinhou o Programa Passo Fundo Vai de Bici, afirmando que “se trata de uma ação que propõe estruturação, incentivo ao ciclismo e educação para o trânsito”. A secretária informou que a implantação das novas ciclofaixas no município servem para assegurar o acesso das pessoas ao uso continuado, seja para lazer ou para deslocamentos de trabalho ou estudo. Além disso, enfatizou a atenção da Prefeitura à sinalização, acrescentando que, além dos 15 quilômetros já implantados das vias para bicicletas, mais 10 estão em fase de elaboração.

Ana Paula celebra a audiência como uma forma de engajamento das entidades envolvidas. “É muito importante que o Ministério Público se envolva, assim como o Poder Público e entidades ligadas à comunidade. Isso faz parte do amadurecimento da sociedade”, enfatiza.

O secretário de Segurança, João Darci Gonçalves da Rosa, abordou o lado comportamental do usuário, lembrando que há casos em que o erro está na conduta de alguns praticantes. “É preciso tratar essa questão de forma mais específica, pois existem pessoas que usam a bicicleta sem segurança, passando o sinal vermelho, assim, correndo o risco de serem atropeladas”, comenta.

Outro ponto trazido pelo secretário quanto às melhorias na sinalização das ciclovias é o plano de instalação de semáforos, equipamentos que também devem chamar atenção dos pedestres. “É preciso que eles também se conscientizem que a ciclovia não é local para caminhadas”, adverte.

O vereador Ronaldo manifestou seu apoio à iniciativa, além de disponibilizar, em nome da Câmara, incentivo às ações encadeadas pelos ciclistas. “Nós somos parceiros para qualquer projeto que seja encaminhado. É muito importante que haja formas de levar informação à população que não é ciclista”, afirma.

O parlamentar expressou a necessidade de informar a população sobre o uso da ciclovia e sua relevância no contexto urbano. “É fundamental alertar a comunidade e unir forças para fazermos um trabalho preventivo que possa esclarecer os motoristas sobre essa nova via de acesso”, observa.

Um novo encontro para debater a utilização dos espaços destinados aos ciclistas deve ser agendado. A ideia é que, sobretudo, se incentive, em Passo Fundo, a mobilidade ativa, contribuindo para melhorias ambientais e para na ampliação da qualidade de vida das pessoas.

Segurança nas rodovias

Na audiência, Fábio também chamou atenção para a sinalização nas margens do município, pois muitos ciclistas andam nas estradas que circundam a cidade. “Também é preciso que se tenha um maior cuidado com as rodovias, pois muitos de nós praticamos nestas vias que ligam o município a outras cidades próximas. De modo, é preciso ter uma sinalização mais clara nestes pontos para maior segurança dos ciclistas”, ressalta.

No entanto, o superintendente regional do Departamento Autônomo de Estradas e Rodagem (DAER), Antônio Teixeira, lembrou que, devido a fatores físicos, existem alguns pontos nestas vias em que não há condições de incluir sinalização. “Não há como tomar esta medida em alguns pontos, pois o acostamento é para área de escape e parada de carros. Para isso, seria preciso elaborar um projeto para alargamento destas estradas”, salienta.

Foto: Comunicação / Câmara de vereadores

Leia Também Telefones para você entrar em contato com as Rádios Planalto Mãe e filho morrem afogados em açude no Norte de Santa Catarina Falso empresário que tentou negociar jogadores da dupla Grenal é alvo de busca e apreensão Cruzeiro é hexa da Copa do Brasil