Emancipações

Postado por: João Altair da Silva

Compartilhe
Os pequenos municípios da nossa região estão de aniversário. Houve uma onda forte de emancipação no início dos anos de 1990, foram pelo menos 80 distritos que buscaram o sonho da independência político/administrativo. Por isso a maioria desses municípios estão comemorando 21 anos de emancipação nesses meses de março e abril. Na época, as emancipações foram criticadas por colegas dos grandes veículos de comunicação que chamavam de “farra emancipacionista”. Hoje, essas comunidades têm um orçamento mensal para fazer frente às principais demandas nas áreas da saúde, educação e, sobretudo, estradas do interior. Passo Fundo, “perdeu” quatro distritos na época,Ernestina, Mato Castelhano, Coxilha e Pontão. E ainda hoje não consegue atender o interior. Na localidade de São Valentim, produtores fazem uma volta de 20 km para colher a soja que está do outro lado do riacho. Na ponte de apenas cinco metros de comprimento uma ingrata mensagem em uma placa colocada pela prefeitura previne: “peso máximo 3 toneladas”. A colheitadeira mais leve pesa seis mil quilos. Imagine se todos esses distritos ainda pertencessem ao município de Passo Fundo a quantas andaria nosso interior. As comunidades rurais pertencentes a municípios maiores, como é o nosso caso, sofrem muito, porque têm pouca expressão política e popular (aqui a população do interior não passa de 3%). Isso que o homem do campo é um cidadão que custa barato para o poder público municipal, ele não reivindica iluminação pública, coleta de lixo e outros serviços que, nós na cidades, cobramos todos os dias.

Leia Também 33º Domingo do Tempo Comum. O Enart, de novo! A importância de ter uma recepcionista/secretária preparada em seu consultório. Feito é melhor que perfeito