Um Fusca jamais abandona outro Fusca

Postado por: Júlio César de Medeiro

Compartilhe

Trago hoje trechos do relato de Alejandro Torres Fajardo sobre a relação do fusqueiro com seu Fusca e com outros fusqueiros. Quem nos brindou com essa história foi o mestre Alexander Gromow em sua coluna “Falando de Fuscas & afins” no site AutoEntusiastas.

Eu estava voltando de Los Olivos para Surco e encontrei um velho Fusca prateado parado com um casal de idosos. O senhor me disse que não sabia qual era o problema, mas que o motor havia apagado e não quis pegar de novo. Em rápida inspeção identifiquei que a mangueira de combustível havia se soltado.

Peguei minhas ferramentas e comecei a ajudá-lo. Ele perguntou se eu era mecânico e eu disse que não. Expliquei que havia passado por isso quando adquiri meu Fusca. Também contei que pertencia ao clube de aficionados por Fuscas “Mac Volkswagen” (Mundo AirCooled Volkswagen) e que nosso lema é: “Um Fusca jamais abandona outro Fusca”. Logo consertei o vazamento de combustível e fizemos o carro pegar. Ao me despedir perguntou o quanto devia. Eu disse que ele não devia nada, pois é um prazer ajudar!

Quando cheguei ao pedágio alinhei-me na pista de pagamento a dinheiro, logo atrás do Fusca prateado do casal de velhinhos. Quando chegou a minha vez de pagar a garota do posto de controle me disse: “O Fusca da frente pagou o seu pedágio”. Logo adiante agradeci com um sinal de faróis e um aceno enquanto os ultrapassava. Eles sorriram despedindo-se.

Segui orgulhoso, dirigindo a mil com música no máximo no meu Fusca. No caminho para casa pensei comigo mesmo: é incrível quando algo te apaixona de verdade. Compartilhar essas experiências com amigos que cultivam da mesma paixão, reunir-se com eles para ver o que falta no seu Fusca ou consertar alguma coisa. Independentemente do seu status social, se é um Fusca original ou tunado, se você é um empregado ou empresário, marcar um encontro com os amigos ou mesmo viajar com eles, rir, aprender, compartilhar e estreitar essa amizade com outros fusqueiros é um prazer enorme. Além, é claro, da aventura que é estar ao volante de um clássico como o Besouro da Volkswagen!

Aqueles que têm a honra de possuir este clássico sabem muito bem o que eu estou falando.

Alejandro Torres Fajardo tem 39 anos e mora no distrito de Surco, na grande Lima, no Peru. Trabalha na área da gastronomia e também com propaganda e marketing. É associado do clube Mac Volkswagen.

Alexander Gromow é engenheiro eletricista e ex-presidente do Fusca Clube do Brasil. Autor dos livros "Eu amo Fusca" e "Eu amo Fusca II", é também autor de inúmeros artigos sobre Fuscas, publicados em boletins de clubes e na imprensa nacional e internacional. Além da coluna “Falando de Fusca & Afins” no site AutoEntusiastas, também é o responsável pela coluna “Volkswagen World” no Portal Maxicar e mantém o site Arte & Fusca. É ativista na preservação de veículos históricos, em particular do VW Fusca, de sua história e das histórias em torno destes carros. Foi eleito “Antigomobilista do Ano de 2012” no concurso realizado pelo VI ABC Old Cars.

Leia Também Fisco pode acessar dados do sistema financeiro, decide STJ Fraternidade e superação da violência Tempo da quaresma: tempo de fraternidade Seis ou meia dúzia?