Um Fusca jamais abandona outro Fusca

Postado por: Júlio César de Medeiro

Compartilhe

Trago hoje trechos do relato de Alejandro Torres Fajardo sobre a relação do fusqueiro com seu Fusca e com outros fusqueiros. Quem nos brindou com essa história foi o mestre Alexander Gromow em sua coluna “Falando de Fuscas & afins” no site AutoEntusiastas.

Eu estava voltando de Los Olivos para Surco e encontrei um velho Fusca prateado parado com um casal de idosos. O senhor me disse que não sabia qual era o problema, mas que o motor havia apagado e não quis pegar de novo. Em rápida inspeção identifiquei que a mangueira de combustível havia se soltado.

Peguei minhas ferramentas e comecei a ajudá-lo. Ele perguntou se eu era mecânico e eu disse que não. Expliquei que havia passado por isso quando adquiri meu Fusca. Também contei que pertencia ao clube de aficionados por Fuscas “Mac Volkswagen” (Mundo AirCooled Volkswagen) e que nosso lema é: “Um Fusca jamais abandona outro Fusca”. Logo consertei o vazamento de combustível e fizemos o carro pegar. Ao me despedir perguntou o quanto devia. Eu disse que ele não devia nada, pois é um prazer ajudar!

Quando cheguei ao pedágio alinhei-me na pista de pagamento a dinheiro, logo atrás do Fusca prateado do casal de velhinhos. Quando chegou a minha vez de pagar a garota do posto de controle me disse: “O Fusca da frente pagou o seu pedágio”. Logo adiante agradeci com um sinal de faróis e um aceno enquanto os ultrapassava. Eles sorriram despedindo-se.

Segui orgulhoso, dirigindo a mil com música no máximo no meu Fusca. No caminho para casa pensei comigo mesmo: é incrível quando algo te apaixona de verdade. Compartilhar essas experiências com amigos que cultivam da mesma paixão, reunir-se com eles para ver o que falta no seu Fusca ou consertar alguma coisa. Independentemente do seu status social, se é um Fusca original ou tunado, se você é um empregado ou empresário, marcar um encontro com os amigos ou mesmo viajar com eles, rir, aprender, compartilhar e estreitar essa amizade com outros fusqueiros é um prazer enorme. Além, é claro, da aventura que é estar ao volante de um clássico como o Besouro da Volkswagen!

Aqueles que têm a honra de possuir este clássico sabem muito bem o que eu estou falando.

Alejandro Torres Fajardo tem 39 anos e mora no distrito de Surco, na grande Lima, no Peru. Trabalha na área da gastronomia e também com propaganda e marketing. É associado do clube Mac Volkswagen.

Alexander Gromow é engenheiro eletricista e ex-presidente do Fusca Clube do Brasil. Autor dos livros "Eu amo Fusca" e "Eu amo Fusca II", é também autor de inúmeros artigos sobre Fuscas, publicados em boletins de clubes e na imprensa nacional e internacional. Além da coluna “Falando de Fusca & Afins” no site AutoEntusiastas, também é o responsável pela coluna “Volkswagen World” no Portal Maxicar e mantém o site Arte & Fusca. É ativista na preservação de veículos históricos, em particular do VW Fusca, de sua história e das histórias em torno destes carros. Foi eleito “Antigomobilista do Ano de 2012” no concurso realizado pelo VI ABC Old Cars.

Leia Também Concessões e privatizações para salvar o Estado Economia versus política Utilização de águas de reuso O Fusca e o padre