Envolvidos em ataques a banco em Ibiraiaras morrem em confronto com policiais

Compartilhe
Foto: Prefeitura de Ibiraiaras / Divulgação   Foto: Prefeitura de Ibiraiaras / Divulgação 

Seis suspeitos de participação em dois ataques a banco registrados, no início da tarde dessa segunda-feira (03), em Ibiraiaras, no Nordeste gaúcho, morreram, no fim da tarde, em uma sequência de confrontos com a Brigada Militar, em um matagal na região. Mais cedo, a corporação havia informado a prisão de mais um suspeito, Felipe Arnoldo de Oliveira, de 29 anos e sem antecedentes. Nas trocas de tiros, nenhum PM se feriu. Com o bando, foram apreendidos armas, coletes, explosivos e parte do dinheiro roubado.

De acordo com o Comando Regional de Policiamento Ostensivo da Serra, uma equipe do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) da BM fazia buscas na mata quando ocorreram os confrontos – pelo menos seis, em menos de uma hora. A suspeita é de que dois homens sigam foragidos nas imediações.

Os ataques resultaram, ainda, na morte do funcionário do Banco do Brasil, Rodrigo Mocelin da Silva, de 37 anos,  que era um dos cinco reféns levados pelo bando e tentou escapar. A quadrilha, fortemente armada, atacou o Banrisul e o Banco do Brasil, e pretendia roubar ainda uma lotérica, mas não teve êxito.

Segundo o secretário de administração da prefeitura, Sérgio Baldasso, duas pessoas foram baleadas: o sobrevivente está sendo atendido no hospital da autarquia municipal de São José, que pertence a Ibiraiaras.

Os criminosos fizeram um cordão humano com clientes e funcionários das agências. Em seguida fugiram em três carros levando reféns. Logo em seguida chegaram viaturas da Brigada Militar e partiram em perseguição. Foi quando houve tiroteio.


Com o bando, foram apreendidos armas, coletes, explosivos e parte do dinheiro roubado. Foto: Divulgação/BM

Terceiro ataque

Mais cedo, em Três Palmeiras, na região da zona da Produção, o ataque ao banco Sicredi ocorreu por volta das 13h30min. Segundo o prefeito Silvânio Antônio Dias, um ataque similar havia sido registrado em fevereiro. “Eles estavam fortemente armados. Fizeram um cordão humano e levaram um segurança refém, porém, ele foi liberado pouco tempo depois”, comentou.

Além disso, no momento da saída, os assaltantes atiraram contra uma loja do comércio, quebrando a vidraça. “Pelo menos ninguém ficou ferido”, disse o prefeito. que lamentou a situação, recordando que há dois meses um município vizinho, Entre Rios do Sul, também sofreu um ataque a banco. “Mesma ação. Fugiram pelos mesmos caminhos. Precisamos de uma ação regional para coibir esse tipo de crime”, avaliou.

*Agência Brasil

 

Leia Também Bolsonaro será diplomado presidente nesta segunda-feira Temer anuncia intervenção federal em Roraima até o fim do ano Celulares irregulares serão bloqueados a partir deste sábado Calendário do IPVA 2019 terá prazo reduzido para desconto