Bolsonaro deve ou não desfilar em carro aberto?

Postado por: Ronaldo Rosa

Compartilhe

Em breve teremos a posse do presidente eleito, Jair Bolsonaro. Vítima de uma tentativa de homicídio, durante a campanha, por motivação política, o futuro presidente do Brasil é um alvo em potencial de criminosos, que temem a sua chegada ao poder, seja pelos discursos de combate ao crime, seja por fanáticos de alguns partidos, que não aceitam a derrota. Diante deste quadro o tradicional desfile em carro aberto no dia da posse está sendo avaliado, pois não se duvida de um atentado nesse dia. Inclusive familiares de Bolsonaro se manifestaram em redes sociais levantando suspeita sobre a vontade tanto de inimigos, como de pessoas próximas (amigos da onça) de vê-lo impossibilitado de assumir. O clima é tendo no nosso país, mas mesmo diante deste quadro o presidente deve sim desfilar e desde o início reforçar a coragem, já demonstrada, para encarar todos os desafios que virão. Cabe reforçar a segurança, fora isso vida que segue.

 

Mesmo com tantas condenações Lula quer ir para casa

O ex-presidente e atual presidiário, Lula, tenta de todas as formas se safar da cadeia. Condenado por cinco vezes, ainda se acha injustiçado e quer a anulação da condenação ou em pior das hipóteses que possa cumprir prisão domiciliar. Uma das alegações para anular a condenação é o fato do Juiz Sérgio Moro ter sido convidado por Bolsonaro para ser ministro e uma possível má fé, por questões políticas do juiz no julgamento. Não acredito que isto tenha acontecido, mas vamos admitir, se eliminaria uma condenação e as outras, como ficam? Muitos apaixonados dizem que Lula não é uma ameaça a sociedade e que por isso poderia cumprir prisão domiciliar. Até pode ser, dependendo do ponto de vista, eu o considero bandido tanto quanto os traficantes, donos dos morros no Rio e em São Paulo, não apenas pelos milhões desviados, mas por tudo que roubou e permitiu roubar do povo brasileiro, a esperança e os sonhos de milhares de pessoas.

 

Criminalidade sem limites

O que dizer desses ataques a bancos, em pequenas cidades na região, ainda mais com a morte de um gerente. Muito triste tudo isso, por mais que a polícia prenda ou mate os bandidos, aquele homem de bem, pai de família não volta mais para casa. O pior é imaginar que fatos como esse vão continuar acontecendo, seja perto ou longe da gente. Neste período de final de ano, os marginais estão enlouquecidos, dispostos a tudo. Além dos bancos, vamos ter ataques a joalherias, mercados, depósitos de grandes fábricas e claro aos consumidores que estarão com mais dinheiro no bolso, com o acréscimo do décimo terceiro. Desejar sorte no trabalho da polícia e que Deus nos guarde, é o possível no momento.

 

Dizem por aí... Que ainda teremos mais trabalhadores inocentes perdendo a vida em Passo Fundo e região, antes do final do ano. Será verdade?

Leia Também População quer mais humanização no atendimento médico Concessões e privatizações para salvar o Estado Redução da maioridade penal só com uma nova constituinte Em Passo Fundo está liberado beber na rua e depois dirigir