Alunos da Escola de Vida recebem certificado da Academia Passo-Fundense de Letras

Compartilhe

 “A educação dá oportunidades”, essas palavras do secretário municipal de Educação, Edmilson Brandão traduzem bem a tarde de emoções vivenciadas por cinco crianças e adolescentes em tratamento oncológico que participaram nesta semana da formatura como escritores mirins da Academia Passo-Fundense de Letras. Os estudantes da Classe Hospitalar Escola de Vida, projeto desenvolvido pelo Hospital São Vicente de Paulo (HSVP) de Passo Fundo, Prefeitura Municipal, Ministério Público e Universidade de Passo Fundo (UPF), que participaram pelo segundo ano do Projeto Identificando Talentos, que culminou no livro Cultivando Talentos, receberam seus certificados, mostraram seus trabalhos e o dom para a escrita.

Ketlin Martins Duarte, Emanuelle Floriano Salvia, Victoria Vargas Bortolini, Suélen Prandi Machado, Michel Dill, Quetlin Flores, Pâmela Sijã Antônio, Liandra Agazzi, Isabela De Deus Federici, Luiza Bueno, Emily Da Rocha Stenzel, Milena Marian, Jéssica Sudre Wojanar, Vanessa Revers, João Pedro Souza Dos Santos, Valentina Palaoro Nedel e Lúcio Marques Leonardi participaram do livro com belos textos e foram reconhecidos. Em cada texto, a emoção dos pacientes, experiências vividas e os aprendizados adquiridos durante o projeto.

O Identificando Talentos desenvolvido em 2016 pela Academia Passo-Fudense de Letras tem como objetivo despertar e identificar o gosto de crianças e adolescentes, da rede municipal de ensino, para a leitura e escrita. “O ano passado, a professora Silvia entrou em contato conosco para realizarmos o projeto no hospital, na Escola de Vida. E isso nos surpreendeu porque o objetivo da Academia é exteriorizar os conhecimentos. O ano passado já revelamos vários talentos e este ano, recebemos ainda mais textos. O projeto trouxe escritores e autores da Academia para dentro do hospital, onde conversaram, orientaram e auxiliaram as crianças na produção textual”, explica Dilse Piccin Corteze, presidente da Academia, ressaltando ainda, que esta é uma oportunidade que os pacientes têm de publicar suas obras e mostrar seu talento. “O Identificando Talentos, o livro, o lançamento, a sessão de autógrafos e a formatura além de revelarem novos autores, levantam a autoestima dos pacientes, o que é muito válido”. 

Na cerimônia de formatura, o Superintende Executivo do HSVP, Ilário De David agradeceu aos parceiros envolvidos no projeto e as professoras Silvia Ricci e Daniela Dias pela dedicação no projeto, ressaltando ainda, a inclusão que o projeto gera. “Há alguns anos não se imaginava isso em um hospital. Que bom que está acontecendo, pois, projetos assim nos motivam e oportunizam aprendizado para esses pequenos pacientes”. 

Assim como Ilário, Edmilson destacou a importância destas iniciativas dentro do hospital. “Olhando de fora o hospital não parece o lugar ideal para celebrar uma formatura. Mas aqui é um lugar onde devemos valorizar a vida! Dar oportunidade para essas crianças se expressarem é muito importante, por isso agradeço a todos os envolvidos. Esses jovens estão mostrando seus talentos, seu potencial artístico e de vencedores”, evidenciou o secretário de educação, parabenizando ainda as crianças pelo trabalho.

A pedagoga Silvia enalteceu a importância do projeto para os alunos da Escola de Vida e de como o projeto envolveu também famílias e amigos. “O Identificando Talentos trouxe para o HSVP momentos de apreciação do universo literário e ofereceu aos alunos condições para pudessem se expressar através de diferentes linguagens literárias. Esse ano, além do olhar das pedagogas e da escritora Elisabeth Ferreira, contamos com o apoio e incentivo dos pais das crianças e adolescentes nas produções para o livro”, pontuou Silvia, avaliando ainda que, “a escolha de duas alunas da Escola de Vida, como Acadêmicas Mirins traz muita alegria e a certeza de que o objetivo do trabalho foi alcançado com sucesso”.

Acadêmicos mirins

Além da entrega dos certificados, a Academia contemplou Ketlin Martins Duarte e Suélen Prandi Machado com a pelerine de Acadêmicas Mirins. A iniciativa, conforme Dilse é para incentivar as crianças e jovens no desenvolvimento das suas habilidades e também para que sejam disseminadoras da leitura e escrita. “Receber esse título é um presente. Uma grande oportunidade para nós, pois gosto muito de escrever e isso nos motiva”, conta Suélen, 10 anos, que realiza tratamento contra Leucemia, enfatizando ainda que, na escola ela auxilia os colegas nas redações e trabalho. “Como gosto muito ajudo quem eu posso e incentivo meus amigos a ler e escrever”.

Assim como ela, Ketlin, 11 anos também gostou muito de receber a pelerine. “Não imagina que ia receber. Foi muito legar e estou muito feliz”, relatou a paciente, que escreveu antes da cerimônia um belo texto para apresentar na formatura e homenagear as professoras.

Acadêmica mirim desde 2017, Victoria destacou a alegria de participar do projeto. “Eu me senti muito importante por representar a Escola de Vida na Academia. Isso no motiva ainda mais e incentiva a escrever. Saber que o nosso texto chega até as pessoas é muito gratificante”.


(Foto: Assessoria de Comunicação HSVP)

Leia Também Ação de prevenção do câncer de pele atende mais de 200 pessoas Soldado da BM supera todas as dificuldades e realiza sonho de se tornar médico Divulgados os aprovados no Curso Técnico de Enfermagem da Escola HC HSVP realiza mais de três mil atendimentos em eventos externos