Governador eleito caindo na realidade

Postado por: Ronaldo Rosa

Compartilhe

Maioria é contra lei para beneficiar uma única empresa

O serviço de transporte individual de passageiros, por meio de aplicativo, tem muito valor para a população, porém as empresas interessadas em trabalhar na cidade, tem que se enquadrar nos critérios estabelecidos e não querer impor como deve ou não funcionar para prestar o serviço. Essa foi à posição da maioria das pessoas que participaram do debate que foi pauta do programa Frente e Verso, na Rádio Planalto News. Hoje Passo Fundo já conta com aplicativos, só que o mais famoso deles, o Uber, não aceita a obrigatoriedade dos veículos serem emplacados no município como consta na lei em vigor. O Uber quer placa liberada, assim o município deixaria de ganhar a parte do IPVA que teria direito, além disso, tem a questão do controle e da segurança, que seria maior com os veículos emplacados aqui. Mesmo que o serviço seja importante, é preciso exigir o mínimo de contrapartida para funcionar na cidade, por isso estou junto com os que defendem essa posição. Apesar disto, ao que tudo indica, a placa vai ser liberada mesmo, pois em outros municípios que se tentou, houve questionamentos judiciais e a exigência não vingou, em Passo Fundo deve acontecer à mesma coisa.

 

Festas para crianças carentes

Nessa época do ano acontece festa para crianças carentes em todos os bairros de Passo Fundo, alguns realizam até mais do que uma. Elas são feitas pelas associações de moradores, time de futebol, Ongs etc.. É tanta festa que corre o risco de faltar a matéria prima que são as crianças carentes. O período é de fartura, uma pena que durante o restante de todo o ano não tenha sido assim. Muitas famílias em dificuldades, precisando de alimentos, muitos pais desempregados, sem condições de dar uma vida boa para os filhos. Que a solidariedade, vista nessa época, possa ser dividida por todos os meses do ano e que realmente alcance aqueles que de fato precisam e que ainda não foram contemplados.

 

Governador eleito caindo na realidade

Eu não votei do Eduardo Leite, nem por isso quero que vá mal. Tomara que salve o Estado e consiga fazer pelo menos a metade do que disse na campanha. Pelos anúncios feitos até agora, desde a eleição o que se percebe é que o governador eleito está caindo na realidade e até surpreendendo quem confiou nele, mas é cedo para dizer que está errado.  Mas já sabemos que vem aí aumento de impostos, atraso de salários de servidores que irão continuar e algumas ideologias, contrárias ao desejo da maioria da população devem ganhar força, pelas escolhas dos secretários na área da cultura e da educação. Tomara que esses indícios não se confirmem.

Leia Também O bom samaritano Um projeto para o Brasil Reforma da Previdência: cofre aberto Ambição derrotada