Recomeçando o ano!

Postado por: Ari Antônio dos Reis

Compartilhe

Estamos na primeira semana de 2019. Nas primeiras horas desta nova etapa trocamos votos de felicidade, desejamos aos amigos e familiares um feliz ano novo. Via-se o sorriso de esperança nos lábios das pessoas. É muito bom que a esperança impulsione este novo caminhar. Ela nos fará fortes diante das dificuldades, ajudando a superá-las.

No primeiro dia do ano assumem mandatos o presidente da República e o governador do Estado, além de senadores, deputados federais e representantes nas Assembleias Legislativas. Os eleitos têm nas mãos o desafio de ajudar o país e o estado a saírem da crise. Também devem dar um testemunho inequívoco de honestidade e compromisso com o bem público. A muito tempo o povo brasileiro tem dado sinais de rejeição ao modelo que vigorou até então fundado na troca de benesses e privilégios.

Junto à missão de superar a crise e o compromisso honesto com o bem público está, não em menor grau de importância, a árdua tarefa de superar a gritante desigualdade social. Este último desafio também é tarefa política, visto que ela está voltada para o bem comum. A persistência de situações de desigualdade social é preocupação de todos os cidadãos. É, sobretudo, preocupação fundamental de quem ocupa um cargo público.  Sem esta superação dificilmente teremos a paz social.

O começo da nova legislatura coincide com a mensagem do Papa Francisco por ocasião do Dia Mundial da Paz, comemorado no dia 1º de janeiro. Por coincidência a mensagem do Papa Francisco para este dia tem como título “a boa política está a serviço da Paz”. Em um os trechos o Papa afirma: “A política é um meio fundamental para construir a cidadania e as obras do homem, mas, quando aqueles que a exercem não a vivem como serviço à coletividade humana, pode tornar-se instrumento de opressão, marginalização e até destruição”. Recorda ainda que o exercício da política não é tarefa apenas dos governantes, mas de todos os cidadãos.  

Façamos do exercício da política um compromisso perene e profundo com a paz. E paz tem como um de seus fundamentos a justiça social. É uma boa indicação para este ano que se inicia.

Leia Também Romualdo, o taxista Catequistas O meio ambiente é coisa séria! Mandado de Segurança não é substitutivo de ação de cobrança