Atleta Tiago Perez rumo ao topo das Américas

Compartilhe


O atleta da Universidade de Passo Fundo (UPF) Tiago Perez tentará escalar a montanha Aconcágua, localizada na Argentina e considerada a mais alta do mundo fora do Himalaia, com cerca de 7 mil metros de altitude. A atividade no local inicia neste domingo, 6 de janeiro, e se estende até o próximo dia 21. Todos os anos mais de 5 mil pessoas tentam  realizar a escalada, mas menos de 20% delas chegam ao cume. 

Localizado na Cordilheira dos Andes, à 6.962 metros de altitude, está o maior desafio do esportista, que estará junto de seu companheiro de expedição, o catarinense Bhernar Monguilhot. “A ‘sentinela de pedra’, como é conhecido o monte Aconcágua, é tão imponente que parece mesmo tomar conta de toda a província e atrai montanhistas de todo o mundo. Em busca de superar limites, eles encaram as paredes de gelo e realizam uma das mais perigosas escaladas”, comenta Perez.
 
O monte Aconcágua é simultaneamente o ponto mais alto das Américas, de todo o Hemisfério Sul, e o mais alto fora da Ásia. Fica localizado nos Andes Argentinos, à cerca de 112 km da cidade de Mendoza. Ele está situado no Parque Provincial Aconcágua, cuja entrada fica próxima ao povoado de Puente del Inca. “Será uma expedição independente, ou seja, não contaremos com o apoio de guias, agências especializadas, carregadores, nem oxigênio suplementar. Estaremos em contato com a montanha aproximadamente 15 dias, para tentarmos chegar ao topo. Para isso existem alguns locais para acampamentos para realizarmos a subida da montanha: Confluência, à 3.368m de altitude, Plaza de Mulas, à 4.370m, que é o acampamento base, Nido de Condores, à 5.560m, e Berlim, à 5.926m. Ficaremos nestes acampamentos para nos aclimatarmos a altitude e ao ar rarefeito, parte fundamental para o sucesso da escalada”, conta Perez.
 
A montanha possui três vias de acesso: a normal, o Glaciar dos Polacos e a Parede Sul. A mais frequentada é a rota normal ou noroeste, que apresenta menos obstáculos técnicos, mesmo assim não é recomendada para aventureiros não climatizados ou não experientes. As outras duas requerem escalada em gelo e rocha. A sua silhueta árida, os cumes gelados, o deserto de um lado e o oceano do outro mostram a magnitude e a magia da natureza. Perez e Bhernar tentarão alcançar, possivelmente, no dia 16. “Saíremos em torno de uma hora da manhã, para chegarmos ao topo próximo do meio-dia, e termos tempo hábil de descer ao acampamento Berlim antes das duas horas da tarde”, relata o atleta da UPF.

Uma grande aventura
O desafio que a montanha apresenta é um teste de resistência física, pois o montanhista tem que superar o frio, que pode chegar à 30 graus negativos acima dos 5 mil metros, com neve, rajadas de ventos de mais de 100 km/h e a falta de oxigênio comum às grandes altitudes. “Gostaria desde já de agradecer a todos os meus patrocinadores e apoiadores que acreditam em meu sonho e toparam embarcar nessa jornada, bem como meus amigos e familiares, que estão dando todo o apoio e força necessária, mandando mensagens e desejando sorte na jornada. Será uma aventura incrível. Tentaremos conquistar a segunda maior montanha das 7 principais do mundo, e com imenso respeito à ela, a natureza e toda sua força, espero retornar no dia 23 de janeiro, com essa grande conquista na mochila”, finaliza Tiago Perez.

Os picos mais altos do mundo
Os 7 cumes dos 7 continentes são:
Monte Everest – 8.844m (Ásia)
Aconcágua – 6.962m (América do Sul)
Monte McKinley (Denali) – 6.194m (América do Norte)
Kilimanjaro – 5.895m (África)
Monte Elbrus – 5.642m (Europa)
Maciço Vinson – 4.892m (Antártida)
Monte Kosciuszko – 2.228m ou Pirâmide Carstensz – 4.884m (Oceania)

Leia Também BSBIOS renova com a equipe de voleibol da cidade EC Passo Fundo faz primeiro jogo da pré-temporada com vitória por 3 a 0 Passo Fundo Futsal sediará encontro de equipes de futsal Vermelhão da Serra recebe últimos ajustes para o primeiro amistoso do ano