UPF firma convênio com a Comissão de Direitos Humanos de Passo Fundo

Compartilhe
A Universidade de Passo Fundo (UPF) firmou um convênio com a Comissão de Direitos Humanos de Passo Fundo (CDHPF). A ação, que ocorreu na sala de reuniões da Reitoria, faz parte das estratégias da Instituição referentes à adesão ao Pacto Universitário pela Promoção do Respeito à Diversidade, da Cultura da Paz e dos Direitos Humanos, bem como as ações de implementação da Política de Responsabilidade Social Universitária (PRSU). 

O convênio foi assinado pela reitora da UPF, professora Dra. Bernadete Maria Dalmolin, que lembrou que a Instituição e a Comissão já mantêm uma parceria há bastante tempo, trabalhando em frentes importantes, mas sem a formalização dessa parceria para que se pudesse estreitar ainda mais esses laços e desenvolver mais ações no campo dos direitos humanos. “É uma pauta que nós nos debruçamos há algum tempo aqui na Instituição e que nós discutíamos a necessidade de aprofundá-la e de ela poder, de fato, ser uma política transversal no conjunto das disciplinas, dos conteúdos, dos nossos cursos”, comentou.

Para a reitora, não é uma pauta tranquila, mas a Instituição tem o compromisso com a formação integral e com uma educação que pensa nas singularidades da vida, nas diferentes formas de viver e na possibilidade de pensar em uma sociedade mais igualitária, com dignidade, com respeito. “Que a gente consiga ter a serenidade de pautar essas questões com a profundidade e com a clareza que elas precisam ser pautadas. Precisamos estar juntos e falar sobre essa questão dos direitos humanos”, ressaltou. 

O coordenador da Comissão de Direitos Humanos, Paulo Cesar Carbonari, agradeceu a parceria da Universidade e destacou a importância desse convênio, especialmente no ano em que a Comissão completa 35 anos. “A relação com a UPF tem sido permanente ao longo desses anos. E esse 4 de janeiro de 2019 é muito importante porque nós iniciamos os 35 anos com essa parceria”, disse. Ainda segundo Carbonari, falar sobre direitos humanos é um grande desafio. “A UPF tem essa responsabilidade de mostrar o que são direitos humanos e da compreensão de que este é um conteúdo que tem importância científica, não é uma ideologia. É um tema em que a gente pode dar passos significativos para seguir promovendo vida e vida para todo mundo”, completou. 

Os 35 anos da Comissão também foram mencionados pelo vice-reitor de Extensão e Assuntos Comunitários da UPF, professor Dr. Rogerio da Silva, que colocou a pasta à disposição para colocar o convênio em prática em todos os níveis. “Estamos à disposição para avançarmos e fazer esse debate de forma mais intensa. É um momento importante de fortalecimento”, pontuou. Uma das primeiras ações que deve ser realizada a partir do convênio é a parceria na realização do Colóquio de Direitos Humanos, que está previsto para ocorrer nos dias 7, 8 e 9 de maio. 

A assinatura do convênio também foi acompanhada por representantes da Faculdade de Direito (FD), da Faculdade de Educação (Faed), do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH), do Diretório Central de Estudantes (DCE), além de representantes do Comitê Gestor do Pacto e dos funcionários da Instituição.

Sobre o Pacto do Respeito à Diversidade, da Cultura da Paz e dos Direitos Humanos
Em 2018, a UPF aderiu ao Pacto Nacional Universitário pela Promoção do Respeito à Diversidade, da Cultura da Paz e dos Direitos Humanos, iniciativa do Ministério da Educação e do Ministério da Justiça e Cidadania. O objetivo do Pacto é incentivar a educação em direitos humanos no ensino superior por meio de um plano de trabalho que contemple a aproximação entre instituições educacionais e comunidade, inserção de conhecimentos, valores e práticas convergentes com os Direitos Humanos no ensino, na pesquisa, na extensão, na gestão e na convivência universitária e comunitária.

O Comitê Gestor na UPF, composto para formalizar a adesão, é formado por representantes de dirigentes, professores, estudantes e funcionários. A partir da constituição desse Comitê, foi elaborado o Plano de Trabalho da UPF, documento em que constam as ações desenvolvidas pela Universidade no âmbito do ensino, da pesquisa, da extensão, da gestão e da convivência comunitária. Esse processo se deu de forma conjunta por diversas áreas da instituição pautado no diálogo e na premissa de construção coletiva de uma proposta transversal a temática em questão e a realidade da UPF. 

Construída de forma coletiva, a PRSU oficializa e orienta o compromisso da UPF com o desenvolvimento social da região e do país em que está inserida. A implementação dessa Política, revela o esforço da Instituição na perspectiva de responder, com criatividade e inovação, aos desafios postos pela sociedade contemporânea, expressos, inclusive, em atos normativos do Ministério da Educação (MEC) e seus órgãos vinculados, como o Conselho Nacional de Educação (CNE) e a Comissão Nacional de Avaliação (Conaes), que instigam as universidades a pautarem suas políticas e ações com responsabilidade social.

Foto: Camila Guedes

Leia Também Começam nesta terça as inscrições para o SISU Rematrículas começam nesta segunda-feira na IMED UPF inscreve para MBA em Controle de Qualidade e Meio Ambiente Nairo Callegaro reeleito no MTG