Promessa cumprida

Postado por: Adalíbio Barth

Compartilhe

Nos tempos em que não havia preparação dos jovens noivos para o ca­samento, através de “cursos de noivos”, na paróquia em que me encontrava, havia o costume de se fazer uma entrevista com os jovens, visando uma pre­paração mais imediata. Em cima da mesa do padre havia uma lista de questões a abordar. Quando lhes fiz a pergunta sobre a vocação dos filhos, houve um desencontro. A pergunta rezava assim:

- Se mais tarde um filho de vocês gostaria de ser padre ou seguir a vida religiosa, vocês deixariam?

A reação da noiva foi imediata:

- Eu não deixaria!

Ante essa resposta negativa, levantei-me e disse-lhes que seria outro padre a assistir o casamento deles, pois, havia outros padres na comunidade paroquial. Surpresos ante minha afirmativa, insistiam que eu assumisse a cerimônia, uma vez que era o padre conhecido deles. Dei-lhes cinco minutos para conversarem entre si sobre a vocação dos filhos. Retirei-me e voltei após um tempinho. Qual não foi a minha surpresa, ao abrir a porta da sala, onde se encontravam.

- Sim, sim! – dizia alegremente a noiva. Resolvemos que sim, não há pro­blema nenhum.

O casamento foi realizado e estabeleceram residência em cidade distante cinquenta quilômetros dali.

Qual não foi a surpresa dessa família, quando a visitei dezessete anos após, para convidar um filho deles, para participar de um retiro vocacional. Havia realizado um trabalho vocacional numa escola daquela cidade e vários adoles­centes desejavam receber o convite para o retiro. E um deles era exatamente um filho daqueles noivos.

Ela me mostrava o álbum do casamento, recordou da entrevista realizada, da promessa feita, enfim, estava totalmente surpresa com essa coincidência. Ao sair dessa casa, ela dizia:

- “Foi Deus que lhe mandou aqui, para ver se eu estava firme em minha promessa.”

Muitas pessoas estão convencidas de que, para um trabalho vocacional a longo prazo, deve-se sensibilizar os jovens noivos, para que motivem seus filhos a seguir este caminho. Se há incentivo dos pais, tudo se torna mais fácil para encaminhar alguém à vocação sacerdotal ou religiosa.

 

Leia Também Catequistas O meio ambiente é coisa séria! Mandado de Segurança não é substitutivo de ação de cobrança Deputados aprovam novo conceito de biblioteca escolar