Terror vermelho

Postado por: Júlio César de Medeiro

Compartilhe

Em 1962 o cientista australiano Roy McMahon foi designado para liderar uma expedição de estudos na Antártida. Pensando em cortar custos foi até uma filial da VW e fez um pedido inusitado: queria um fusca para usar em seus trabalhos no continente gelado.

A VW viu nesta proposta uma grande chance de propaganda e não só deu o fusca, um modelo 1962 vermelho, como também um grande kit de peças de reposição e muitos rolos de filme para que a aventura fosse registrada. Além disso, como o fusca fora fabricado para encarar o calor australiano, recebeu um kit de inverno usado para os fuscas de países gelados como Alemanha e Áustria. 

Assim que desembarcou o fusca ganhou um apelido, Terror Vermelho, pois sua competência na gelada terra do polo foi espantosa.

Um par de correntes nos pneus traseiros garantiam que o Terror vermelho andasse com facilidade pela neve e pelo gelo. Por não ter líquido de arrefecimento, não congelava, trabalhando sem problemas em temperaturas de até -38° Celsius. Um óleo de baixa viscosidade no motor e um pouco de querosene no combustível garantiam que o fusca se comportasse como se estivesse  passeando pelas ruas de Sidney.

Era o veículo preferido dos 25 cientistas da estação australiana na Antártida. Mais rápido, mais econômico e mais confiável que qualquer outro veículo da base científica, o Terror vermelho serviu por 1 ano e meio, percorrendo mais de 24 mil km de gelo e neve, até ser substituído por outro fusca.

Acha que acaba por aqui essa incrível história? Pois após ser substituído,  o Terror vermelho voltou para a Austrália e no mesmo ano foi o campeão do BP Rally 1964, uma prova de 3.200 km no deserto do Outback australiano.

Apesar de todo o heroísmo e bravura que este fusquinha demonstrou, sua história foi logo esquecida e ele foi perdido para sempre, restando apenas os registros de época recentemente encontrados pela VW da Austrália, com fotos e filmes  incríveis do Terror vermelho na imensidão branca de gelo e neve da Antártida.

 

Leia Também Viver em comunidade 1º Volks Passo Fundo Shopping Cultura africana! Traído pela mentira