RS: homem que decepou mãos e pé de ex-namorada tem pena reduzida pela Justiça

Compartilhe
Imagem: Reprodução   Imagem: Reprodução 
Um decisão da Justiça do Rio Grande do Sul gerou revolta no estado: um homem acusado de decepar as mãos da ex-companheira durante uma tentativa de homicídio, na cidade de São Leopoldo, no Vale do Sinos, teve a pena reduzida após recorrer da condenação.
Elton Jones Luz de Freitas havia sido condenado a 17 anos e 4 meses de prisão em regime inicial fechado por causa do crime cometido em agosto de 2015. Após a redução da pena, ele deve cumprir pena de 14 anos de reclusão em regime fechado, com possibilidade de progredir para o regime semiaberto em dois anos.
O Ministério Público gaúcho considera recorrer da decisão. A defesa do agressor alegou “ocorrência de erro ou injustiça na aplicação da pena”, além de ter pedido a anulação do Júri (o que foi recusado pelos desembargadores do caso).

O CASO
Elton Jones Luz de Freitas foi condenado pelo Tribunal do Júri, no dia 27 de março de 2018, a 17 anos e quatro meses de prisão em regime fechado. Os jurados consideraram Elton culpado pela tentativa de matar sua ex-companheira.
Elton respondeu por tentativa de homicídio triplamente qualificado, ao tentar matar a ex-namorada dele, Gisela Santos de Oliveira, com diversos golpes de facão. A vítima teve as mãos e o pé direito amputados. .
De acordo com a denúncia encaminhada pelo Ministério Público, após discutir com Gisele e inconformado com o fim da relação, o agressor trancou a vítima no quarto e tentou matá-la. A ex-companheira de Elton foi atingida com facadas no rosto, no couro cabeludo e nos membros inferiores, nos braços e no pé direito da mulher. Ela teve que amputar os membros superior e um membro inferior.
Ela precisou se fingir de morta para sobreviver, e foi socorrida por vizinhos, que chamaram o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Gisele foi encaminhada para atendimento médico e cirúrgico de urgência no Hospital Centenário, inclusive com internação na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), o que evitou a morte.

(Com informações do portal Yahoo! Notícias)

Leia Também Velejador passo fundense preso em Cabo Verde está de volta Aeroporto lotado e sem condições de voo Primeira baixa no governo Bolsonaro Morre jovem que sofreu acidente e estava internado no HSVP