Segurança

Postado por: João Altair da Silva

Compartilhe

É preciso reconhecer a resposta rápida que a Brigada Militar tem dado a crimes, alguns bárbaros na cidade de Passo Fundo.Quando balearam o comerciante de joias, Polipo, no centro da cidade, duas horas depois os bandidos estavam presos. No caso da morte do vigilante (brigadiano aposentado) da lotérica, a prisão dos responsáveis foi instantânea. Os autores do assassinato brutal da aposentada do bairro Leonardo Ilha, foram presos na mesma madrugada. Me chega a informação de que os autores dos disparos contra uma nutricionista que assaltaram para roubar o carro estão identificados.  A Brigada Militar tem sido muito eficiente, pelo menos em Passo Fundo.  Não ocorre o mesmo em municípios menores onde são recrutados policiais das respectivas comunidades, e essa relação umbilical inibe a ação do brigadiano. Aliás, nos pequenos municípios a segurança vai de mal a pior.  Em Mato Castelhano, apenas para citar um exemplo pois na maioria ocorre o mesmo,  o posto policial permanece fechado de madrugada porque não  existe pessoal suficiente para fechar a escala diária.  Uma das falhas aí é dos próprios comandantes locais,  pois se tem que priorizar um turno para manter os postos abertos é justamente o da  madrugada que é o mais perigoso, porém, eles fazem o contrário para satisfazer o seu  bem estar.  É uma falha de gestão, de comando. 

Nos intriga também esse envio exagerado de policiais para operações de férias.  Antes, falávamos apenas das praias no verão, pois agora  inventaram também a segurança na serra gaúcha,  Gramado e Canela.  Nesses dois municípios  é possível verificar rótulas de trânsito  feitas a base de potes de flores.  Portanto, convenhamos, não é lá que precisa reforçar a segurança.  Essa medida  adotada pelos comandos penaliza aquele que mais precisa. Justamente o cidadão que não tem dinheiro para viajar fica em casa  desprotegido, enquanto aquele que tem poder aquisitivo para buscar segurança privada, viaja com o acompanhamento policial do Estado.  

Aqui na região norte, notamos também que o veranista frequenta, preferencialmente, as praias catarinenses.  Portanto, não usufrui desse policiamento enviado ao litoral gaúcho. 

Nas praias a segurança teria que ser reforçada pelos  prefeituras que  recebem todo o farto bônus dos veranistas e não pelo Estado que tem a missão de atender a todos e não privilegiar grupos de seus cidadãos.

Pergunto, quantos cidadãos de Passo Fundo conseguiram comprar os caros e disputados ingressos para assistir aos jogos da Copa do Mundo?  Pois é! A Brigada Militar vai enviar para as cidades da Copa o BOE e o POE, os policiais mais bem treinados da região.  Caro leitor com a palavra .... 

Leia Também 33º Domingo do Tempo Comum. O Enart, de novo! A importância de ter uma recepcionista/secretária preparada em seu consultório. Feito é melhor que perfeito