A cor da Aparecida

Postado por: Adalíbio Barth

Compartilhe

Aceitei o pedido de um colega padre para rezar uma missa, numa comunidade do interior do município, chamada capela de Nossa Senhora Aparecida. Depois da explicação sobre a maneira mais prática de se chegar a essa localidade, dirigi-me até lá sem necessitar de maiores informações.

O povo ainda estava chegando, fui acolhendo a todos e conhecendo alguns detalhes da construção da capela, bem como sua pintura de muito valor, orgulho dos moradores. Outros contaram-me a história do lugar e a queda do número de moradores que, a cada ano vai-se acentuando.

Dentro do templo a ministra veio combinar o ritual litúrgico do dia, os cantos e avisos da comunidade.

- E a imagem da padroeira, onde está?

Indicou-me um andor postado ao lado, todo enfeitado, pronto para entrar em procissão.

- Mas, a imagem da Aparecida é branca? – perguntei estranhando a mudança de cor.

- Sim – respondeu-me a ministra. – Aqui, para não dar brigas e discussões, resolvemos logo pintá-la, de branco, para evitar o racismo.

Uma das grandes lições da imagem da Mãe Aparecida, é condenar o racismo e chamar atenção à humanidade de que Deus criou a todos com amor e igualdade. Deus não olha para as aparências, mas para o caráter da pessoa. Toda forma de discriminação é uma ofensa a Deus que deseja a vivência harmônica entre todas as pessoas.

Leia Também Catequistas O meio ambiente é coisa séria! Mandado de Segurança não é substitutivo de ação de cobrança Deputados aprovam novo conceito de biblioteca escolar