Passo Fundo: pontos perdidos em excesso e necessidade de recuperação

Postado por: Luiz Carlos Carvalho

Compartilhe
O Esporte Clube Passo Fundo teve uma queda assustadora na tabela da Divisão de Acesso. Diante do Glória, nesse domingo (17), perdeu a terceira partida consecutiva e, com isso, deixou a zona da classificação, descendo para o quinto lugar.
A equipe esteve perto de assumir a primeira colocação, tendo perdido em casa para o Esportivo. Depois, voltou a jogar mal e perdeu duas vezes para o adversário de Vacaria. E com os mesmos problemas: finalização pouco e errando no posicionamento da defesa.  Nos três gols marcados pelo Glória no Vermelhão da Serra, nos 3x2, o atacante alviceleste chegou diante do goleiro para bater. Contra atacantes de qualidade, não se pode pecar.
Na verdade, o ataque também do Passo Fundo está muito aquém. A bola não está chegada trabalhando do meio campo e o uso das laterais não está ocorrendo devidamente. Está faltando o poder de definição. As bolas lançadas de longa distância e na diagonal para dentro da área não estão resolvendo.
Sobretudo, os pontos obtidos na vitória contra o Tupi, fora de casa, que poderiam  servir de boa reserva para as contas finais já perderam sua força. Isso pelos tantos pontos perdidos dentro do Estádio Vermelhão da Serra. Foram oito. Muitos para uma competição de 14 jogos.
O que se vislumbra na chave é um equilíbrio, com qualidades a serem destacadas de Glória e Esportivo. Eles também sofreram tropeços, mas têm mantido no geral uma regularidade.  Passo Fundo e Ypiranga, dos quais se esperava muito mais, as campanhas estão irregulares. O Igrejinha vem surpreendendo positivamente muita gente, mas se sabe que há um trabalho muito bom, aproveitando jovens e promissores profissionais. E era lógico que o União Frederiquense não ficaria estagnado, tendo já começado a reação.  Acabou parando o Tupi, com duas derrotas seguidas, mas, mesmo assim, está à frente do tricolor passo-fundense.
Na verdade, o Passo Fundo ainda não empolgou. Começou bem e agora recuperar a própria confiança dentro e fora de campo. Os torcedores têm ido pouco aos jogos, pois não adquiriram a confiança no time. Confiança se adquire com o bom futebol e com os resultados. Trabalho não têm faltado por parte da comissão técnica. Mas, é preciso o algo mais de cada um, até mesmo dos jogadores.
Não é possível esperar o segundo tempo para fazer valer o fator local. Em duas partidas seguidas em casa, foi preciso sofrer o gol e estar atrás no primeiro tempo para correr atrás. Ficou tarde e as derrotas vieram. Que os ventos comecem a soprar a favor!

Até a próxima!
Sejam felizes! Vocês merecem!

Leia Também Todos os santos Empregador em foco: Férias Fracionadas: 14 | 5 | 5, pode? Chamando a mãe Pais na antessala da psicóloga