A credibilidade e importância dos meios de comunicação

Postado por: Clovis Oliboni Alves

Compartilhe

Nos dias de hoje a informação se tornou um elemento indispensável para nosso cotidiano social. Em um Mundo globalizado e informatizado, a informação tornou-se acessível a praticamente toda a população, de maneira democrática, ampla e irrestrita. Com tantas opções disponíveis, e, com o surgimento de inúmeras notícias falsas (fake news), além da visível “parcialidade” ideológica de determinados canais de comunicação, surge mais um desafio para todos nós: Ter um senso crítico apurado e racional sobre todas as notícias divulgadas, analisando a fonte, sua veracidade e também a parcialidade (quando for o caso), de quem está promovendo a notícia.

A “guerra” de informações falsas em praticamente todos os meios de comunicação deixou os brasileiros criteriosamente “desconfiados” de toda e qualquer notícia divulgada. Vivemos um momento onde a mídia alternativa (redes sociais) assumiu um protagonizmo balizador de mercado, da política e da vida social como um todo. Para se ter ideia do poder das redes sociais, até mesmo a Suprema Corte Federal-STF, se viu acuada pelas notícias falsas e outras verdadeiras, que estão sendo divulgadas de maneira massiva, anunciando uma ação repressiva do STF, contra as Fake News. O estrago de uma notícia falsa pode ser irreparável, por isso devemos ter cuidado e critérios ao divulgarmos e compartilharmos qualquer notícia. Outro aspecto que considero ainda mais perverso e desonesto refere-se à parcialidade dos comunicadores e dos meios de comunicação, que se utiliza de sua credibilidade e audiência, para tentar “manipular” a opinião pública de seus telespectadores, ouvintes ou leitores. A atitude parcial e ideológica de determinados meios de comunicação coloca em cheque a credibilidade destas emissoras, aprofundando ainda mais a crise que assola a mídia brasileira tradicional.  

O lado bom da democratização e da publicidade dos atos públicos em especial, está na transparência de dados que até bem pouco tempo, eram tidos como “ultra secretos”, principalmente no quesito de gastos públicos. Nesta semana, o Senador Jorge Kajuru (PSB-GO), revelou em plenária do Senado, gastos públicos da Suprema Corte Federal, que deixaram os brasileiros estarrecidos com os descalabros cometidos com o nosso dinheiro. As mordomias e gastanças promovidas pelos onze ministros são de dar inveja a qualquer marajá. Um verdadeiro abuso de poder com dinheiro público, que soa como “deboche” a nossa Nação brasileira. Em um País que ainda vê milhões de pessoas desempregadas, enfermas, agonizando nas filas dos hospitais por falta de atendimento; onde milhões vivem abaixo da linha da pobreza, sinceramente, o exemplo do STF é sim de dar “VERGONHA” a todos os brasileiros. Dados como os que foram divulgados pelo Senador Kajuru, nunca foram expostos assim ao povo, que hoje consegue ver esta exposição visceral da podridão de muitos atos públicos. A própria Operação Lava Jato, só sobrevive até hoje, com a ajuda indispensável dos meios alternativos de comunicação, que sempre deram apoio incondicional aos agentes envolvidos, através da pressão popular.

Os meios de comunicação ocupam um papel fundamental e indispensável para o bom desenvolvimento da democracia de um país. Através da mídia, promovemos a participação popular na governança, na fiscalização dos atos públicos, na condução da justiça e no direcionamento dos rumos da sociedade, que deve sim, seguir os rumos do interesse público, embora muitos parlamentares e membros da Suprema Corte digam ao contrário.   

“A propaganda representa para a democracia aquilo que o cassetete significa para o estado totalitário”. Noam Chomsky

Leia Também Domingo é dia de Música na Praça no Passo Fundo Shopping Romualdo, o taxista Catequistas O meio ambiente é coisa séria!