Deputado chama ministro de “tchutchuca” e “tigrão” e sessão acaba na delegacia

Compartilhe

Depois de seis horas, a audiência pública da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados com o ministro da Economia, Paulo Guedes, acabou sob bate-boca nessa quarta-feira (03). O presidente da comissão, deputado Felipe Francischini (PSL-PR), encerrou a sessão depois de uma discussão entre Guedes e o deputado Zeca Dirceu (PT-PR).

Num momento em que ainda havia 60 parlamentares inscritos, Dirceu citou a letra de um funk para dizer que Guedes agia sob dois pesos e duas medidas no tratamento dado, pela proposta de reforma, a classes diferentes. Para o deputado, para os mais ricos, o ministro age como “tchutchuca”, e para os aposentados e trabalhadores rurais, como “tigrão”.

Guedes reagiu, dizendo que não admitia esse tipo de comentário e respondendo que “tchutchuca é a mãe” e “tchutuca é a vó”. Ambos trocaram ofensas e passaram a bater boca. Francischini tentou acalmar os ânimos, pedindo a retirada de palavras pejorativas, mas não foi atendido. O ministro, então, decidiu levantar-se, fazendo o presidente da CCJ decretar o fim da audiência.

Escoltado pela segurança da Câmara e por deputados aliados, o ministro deixou a Casa sem falar com a imprensa.

(Com informações da Rádio Guaíba e Agências)

Leia Também Vereadores aprovam orçamento do Executivo para 2020 Haddad é condenado a 4 anos de prisão em regime semiaberto por crime de caixa dois Aprovado o projeto de controle populacional de cães e gatos em Passo Fundo Em ação: super-heróis chegam à Câmara de Vereadores