Tribunal de Justiça organiza julgamento do acusado de matar padre Eduardo Pegoraro

Compartilhe

O homem que invadiu a casa paroquial e atirou na esposa dele e no Padre Eduardo Pegoraro, em Tapera, na região do Alto Jacuí, em 2015, irá a Júri no próximo dia 24 de abril . O julgamento ocorrerá no salão da Câmara Municipal de Vereadores e será presidido pelo Juiz de Direito Márcio César Sfredo.

Jairo Paulinho Kolling foi pronunciado por homicídio consumado, duplamente qualificado (motivo fútil e mediante recurso que dificultou a defesa da vítima) e por homicídio tentado, triplamente qualificado (motivo fútil, mediante recurso que dificultou a defesa da vítima e por ter sido cometido contra mulher em razão do sexo feminino).

Não estão previstas oitivas de testemunhas. Patrícia Kolling que, na ocasião, foi atingida por disparos nas costas, será ouvida em juízo. O réu também será interrogado. Pela acusação, atuará a promotora de Justiça Marisaura Ines Raber Fior. Já na defesa estarão os advogados Carlos Eduardo Hoff da Silva, Ethel da Silva Seemann e Pedro Ernesto da Silva.

A denúncia do Ministério Público aponta que o crime foi praticado por ciúmes e vingança. Na manhã de 22/05/15, Jairo foi à casa paroquial da Paróquia Nossa Senhora Rosário da Pompéia, acompanhado da esposa Patricia Kolling.  Após, ele atingiu o padre foi atingido por dois disparos no peito e morreu no local. Já Patricia foi atingida nas costas. Depois disso, Jairo tentou se matar com um tiro na cabeça.

Durante a instrução, foi ouvida a vítima Patrícia, inquiridas 13 testemunhas e interrogado o réu.

Leia Também Engavetamento envolve cinco carros na Avenida Brasil Ao descarregar silagem, trabalhador morre eletrocutado no interior de Marau Ao atender denúncia de violência doméstica, polícia prende foragido em Passo Fundo Carro desgovernado causa acidente na área central de Passo Fundo