Prefeitura e Estado não chegam a acordo sobre o Hemopasso

Compartilhe

Não houve uma solução para a continuidade dos serviços do Hemopasso em reunião ocorrida nesta quinta-feira (11), em Porto Alegre, entre a secretária de Saúde do Estado, Arita Bergmann, o prefeito Luciano Azevedo e o deputado estadual Mateus Wesp. Também participaram do encontro a secretária municipal de Saúde, Carla Gonçalves, e o procurador adjunto do Município, Júlio Severo. O governo, porém, solicitou mais um prazo para apresentar alternativas à Prefeitura. 

No início do mês, o Município havia anunciado que iria retirar os servidores municipais que atuam no Hemopasso a partir de 1º de maio, em função dos sucessivos atrasos nos repasses do governo, que é responsável pelo serviço. Durante a reunião com a secretária, Luciano reiterou a necessidade da Prefeitura de dispor dos servidores em outras áreas. “Não queremos a interrupção do serviço. A Prefeitura quer colaborar, mas não pode assumir um serviço que é de responsabilidade do Estado”, enfatizou o prefeito, reclamando da irregularidade dos pagamentos do governo. 

Há muitos anos a Prefeitura cede servidores do Município ao Estado, mediante ressarcimento, para exercerem atividades junto ao Hemopasso. Os repasses, porém, não vinham acontecendo e a dívida somava cerca de R$ 700 mil, referente a salários desde outubro de 2018. Após notificar o governo, foram repassados R$ 543 mil, relativos aos salários até o mês de janeiro. Mesmo com parte da dívida paga, o Município busca uma solução definitiva para que o governo assuma o serviço.  

Ficou agendada nova reunião para o dia 25 de abril, a fim de que o Estado apresente uma proposta para a manutenção do Hemopasso. 

Leia Também Quarta de incentivo à doação de medula óssea em Passo Fundo Médicos brasileiros operam intestino de feto dentro do útero da mãe Cremers é contra a abertura de novas faculdades de Medicina Cientistas se animam com descoberta para acabar com células de câncer